Experiência de Fé – Sede Central – Março 2016

Experiência de Fé – Irene Afonso Ribeiro Sacramento

Experiência de Fé - Março 2016

“Nasce cada vez mais dentro de mim, o desejo de materializar a minha gratidão por todas as graças recebidas!”

O meu nome é Irene Afonso Ribeiro Sacramento e dedico no Núcleo de Johrei de Amadora e Sintra.

Sou natural de São Tomé e Príncipe e já há alguns anos que procuro um emprego fixo aqui em Portugal, onde pudesse descontar para a segurança social e ganhar alguma estabilidade financeira, mas nunca consegui.

No ano passado, com a aproximação do Culto do Paraíso Terrestre, pensei em fazer o meu donativo especial, que eu própria tinha estabelecido fazer sempre nos Cultos Especiais. Mas desta vez, conversando com o Ministro sobre essa preparação e qual o esforço a realizar, decidi fazer uma oferta 3 vezes superior aquela que normalmente fazia nessas ocasiões. Uma vez que estava sem emprego, este parecia um valor praticamente impossível para mim, mas, mesmo assim, desafiei-me; fiz oração a Deus e entreguei o meu desejo sincero. Com isto, inesperadamente, começaram a surgir alguns trabalhos temporários que juntando tudo, consegui acumular o valor para a gratidão que tinha colocado como desafio.

Passado o Culto do Paraíso, continuaram a aparecer propostas de emprego, mas nenhum com as características que eu desejava. Mesmo assim, aceitei alguns com muita gratidão. Num desses empregos aconteceu algo interessante. Fui contratada por uma senhora, para cuidar da casa de sua mãe, uma senhora de idade, e de acompanha-la, pois já não conseguia fazer sozinha, algumas tarefas básicas. Apesar da filha me achar de confiança e fazer tudo para que eu continuasse, inclusive carregar-me o telemóvel com 10€ por semana para eu estar sempre em contacto, a sua mãe não queria ninguém em casa. Eu aparecia para trabalhar, mas ela não me abria a porta e quando o fazia muito tempo depois, passávamos o resto do meu horário de trabalho a discutir. Quando isso acontecia, vinha para a Igreja para rezar, ministrar e receber Johrei e fazer donativo de gratidão, com o sentimento de purificar toda aquela situação. Até que um dia, ela foi de férias para o Algarve e a filha pediu-me para fazer uma limpeza a fundo na casa. Foi quando, imbuída do espírito Messiânico, decidi fazer uma Dedicação de Limpeza Espiritual. Cheguei de manhã bem cedo e fiquei a limpar até às duas da madrugada. Algo que nunca tinha feito!

Quando a senhora chegou, disse-me: “Irene o que fizeste à casa? Ficou muito bom!” Desde então, ela começou a querer a minha companhia, abre-me sempre a porta e nunca mais discutimos.

A partir de Julho de 2015, comecei também a rezar com o Ministro na Igreja por ocasião do meu dízimo mensal, coisa que faço até hoje. Na primeira vez que o fiz, senti o verdadeiro desejo de entronizar a Imagem Consagrada de Meishu-Sama na minha casa, mesmo sem possibilidades financeiras. Mas o desejo era tanto, que fiz como gratidão praticamente tudo o que tinha e essa Entronização aconteceu no dia 26 de Setembro, num dia de muita felicidade!

Depois de duas semanas, recebi 2 propostas de emprego, as quais consegui conciliar com o emprego anteriormente referido e passei a ter um horário completo. Num desses novos empregos, trabalho apenas 3 horas, mas pagam-me o salário mínimo e com todos os descontos para a segurança social, aquilo que há tanto tempo desejava! Nem queria acreditar.

Para agradecer esta graça, ofereci como gratidão o meu primeiro salário. E não podia ter pedido a Deus uma “patroa” mais generosa e carinhosa, com 94 anos, ela cuida de mim como se fosse uma filha e diz que sou a sua “luz divina”.

Agora até se gerou uma competição entre as patroas.

– Ela dá “X” mas eu dou mais, não é? Ela não te dá pequeno-almoço, pois não? Eu dou… etc.

Obviamente, estou a cuidar delas com todo o amor e carinho, levo sempre a Flor de Luz, o Boletim Informativo da IMMP, ministro-lhes Johrei e faço também Horta Caseira nas suas casas.

Paralelamente a toda esta situação que vivi na primeira pessoa, esta minha dedicação, também se tem refletido nos meus descendentes.

O meu filho que era dependente do dinheiro que eu enviava todos os meses, para poder manter-se na universidade, arranjou um emprego, que dá para colmatar essas despesas e até ganhou uma bolsa do governo, o que lhe permitiu frequentar a Universidade sem pagar um cêntimo.

Após a minha preparação para o Natalício de Meishu-Sama, na qual, decidi fazer uma oferta 5 vezes superior ao que costumava fazer nos Cultos Especiais, além do meu dízimo, o meu filho foi convidado para fazer o estágio como secretário do diretor de uma grande empresa, ganhando um salário muito bom, mais do que suficiente para se manter a si e à sua família.

Com todas estas experiências, o meu sentimento de gratidão para com Deus e Meishu-Sama é cada vez maior, e nasce, cada vez mais dentro de mim, o desejo sincero de materializar a minha gratidão por todas essas graças recebidas. Hoje compreendo o Ensinamento de Meishu-Sama “Gratidão gera gratidão e lamúria gera lamúria…”.

Meishu-Sama “Gratidão gera gratidão e lamúria gera lamúria…”
Pretendo de agora em diante, estar mais direcionada no encaminhamento de pessoas para conhecerem esse Caminho maravilhoso da Obra Divina. Já comecei a fazer essa dedicação, por exemplo, com os meus vizinhos; fiz uma distribuição de 25 Flores de Luz no mês passado e graças a isso, estou a ministrar semanalmente Johrei numa vizinha, a qual está muito feliz.

Quero agradecer a Deus, ao Messias Meishu-Sama e aos meus antepassados, por esta grande experiência que está a marcar a minha vida.

Muito Obrigado!

Comentário (1)

  1. Responder
    Afonso Gika Mendes

    gostei muito da sua experiência de fé tambem sou Messiânico.