Experiência de Fé – Agosto 2021 – Pedro da Costa

Experiência de Fé – Pedro da Costa

“Aprendi que o apego à preocupação é um grande entrave na nossa evolução e que Deus e Meishu-Sama estão, realmente, no comando de tudo.”

Chamo-me Pedro Alexandre da Costa, tenho 25 anos, sou membro há 15 anos e dedico atualmente no Johrei Center de Lisboa.

A experiência que passo a relatar está relacionada principalmente, com a dificuldade de arranjar emprego na minha área profissional.

Após 5 anos de formação académica, concluí o curso de Direito em Angola e de seguida, vim para Portugal para fazer o mestrado em Direito Fiscal. Próximo de o concluir, estava descontente pois, há 9 meses que me candidatava a vagas na minha área, em mais de 50 empresas entre escritórios de advogados, bancos e consultoras fiscais, mas não era sequer contatado para entrevista. Consequentemente, não conseguia dar início à minha tese de mestrado, pois faltavam-me inspiração e argumentos para defender as minhas ideias.

Nesse momento, estava a realizar algumas práticas básicas, tais como: participação nos Cultos em geral; dedicação de limpeza do Johrei Center e na secretaria; prática dos Donativos de Gratidão Mensal de 10% e para a Reforma da Sede Central, entre outras. Além disso, intensifiquei a leitura dos Ensinamentos de Deus revelados a Meishu-Sama, chegando a ler mais de 2 horas todos os dias. Esta última prática, principalmente, deu-me muita força para enfrentar as dificuldades que viriam por aparecer.

Em conversa com um amigo também angolano, que vive cá há vários anos, depois de ter ouvido as minhas dificuldades em conseguir um emprego, riu-se e disse-me: “O problema está na cor da pele, experimente retirar a sua foto do curriculum.” Assim o fiz e a partir desse momento, passei a receber alguns telefonemas para marcação de entrevistas, em importantes empresas. No entanto, era raro receber algum feedback; quando acontecia, propunham-me uma colocação nas filiais em Angola.

Diante deste quadro, resignei-me e comecei a questionar Deus e Meishu-Sama sobre o porquê de estar a passar por isso. Nesse período, o meu Ohikari caiu ao chão. Comuniquei ao Ministro solicitando a reconsagração e este orientou-me logo a refletir com o objetivo de encontrar a causa dentro de mim. Relatei-lhe que, naquele momento, encontrava-me desanimado e com intenções de retornar para Angola, ao que ele retrucou: “Esse talvez seja o caminho mais fácil! Mas, para ter a certeza de estar a tomar a decisão certa, aproveite esta oportunidade para agradecer a permissão de estar a poder resgatar uma realidade tão delicada na sociedade atual. Além disso, esta situação faz com que tenha que se esforçar para vir a ser muito melhor do que todos os restantes concorrentes, a ponto de que não consigam deixar de o contratar. Portanto, materialize a sua gratidão por esta situação que certamente será para o seu crescimento e evolução! Você acredita mais nos Ensinamentos de Deus revelados a Meishu-Sama ou no que as outras pessoas dizem?”

Passei a refletir diante desta orientação e decidi realizar dois Donativos Especiais: um de pedido de perdão a Deus e Meishu-Sama e outro de agradecimento pela purificação.

Assim, continuei as minhas práticas e não tardou muito para começar a desenvolver a minha tese de mestrado. Para meu espanto, as ideias fluíam naturalmente e, em 3 meses, consegui concluí-la.

Passado um mês, no início de maio, recebi uma graça ao ser chamado para estagiar num Tribunal Arbitral em Lisboa, no Centro de Arbitragem Administrativa e Tributária. E, para minha surpresa, no mês seguinte, recebi uma outra proposta de emprego numa importante sociedade de advogados de Lisboa, na qual me encontro a trabalhar atualmente.

Outro grande milagre foi ter recebido de presente a quantia de 2 mil euros de um amigo da minha família que estava de visita a Portugal e que se disponibilizou também a fazer obras numa das suas casas em Lisboa onde eu pudesse morar sem pagar aluguer. Fiquei perplexo! Só podia ser atuação de Deus e Meishu-Sama!

Como agradecimento pela graça inesperada, mais uma vez, materializei a minha gratidão através de um Donativo Especial de metade do valor da prenda recebida. Além disso, com o coração repleto de gratidão, comprometi-me a fazer outro donativo especial, mas desta vez, no valor integral do meu primeiro ordenado, pela graça do meu novo emprego.

Com esta experiência, pude comprovar a veracidade das palavras do Presidente da IMMP, Reverendo Carlos Eduardo Luciow, na sua palestra do mês passado na Sede Central:

(…) “As pessoas normalmente tentam perdoar ou esquecer a causa do sofrimento e não conseguem, porque se sentem vítimas ou injustiçadas. O único sentimento capaz de as libertar definitivamente dessa situação é a gratidão, ao reconhecerem que tiveram que passar por isso devido à Lei de Causa e Efeito, ou seja, ao haver uma causa no nosso interior, surgem as purificações necessárias, fruto do amor de Deus, para nos purificar e elevar.”

Além disso, aprendi que o apego à preocupação é um grande entrave na nossa evolução e que Deus e Meishu-Sama estão, realmente, no comando de tudo.

Quero aproveitar esta oportunidade para reafirmar o meu compromisso com Deus e Meishu-Sama de me empenhar cada vez mais na transmissão do Johrei para fazer as pessoas felizes, no seu encaminhamento à fé e na participação da Reforma da Sede Central.

Agradeço a Deus e a Meishu-Sama, aos meus Antepassados, ao Reverendo e ao Ministro pelas orientações recebidas!

Muito obrigado!

Comentários não disponíveis.