Experiência de Fé – Abril 2021 – Ana Clara Lima

Experiência de Fé – Ana Clara de Carvalho Lima

“Renovo o meu compromisso com Deus, Meishu-Sama e com os meus Antepassados, em continuar a dedicar incansavelmente na Obra Divina, fazendo muitas pessoas felizes e sendo útil na Construção do Paraíso Terrestre.”

O meu nome é Ana Clara de Carvalho Lima, sou membro há 10 anos e dedico no Johrei Center de Barcelona.

Entre os anos de 2014 e 2018, passei por muitos conflitos, graves problemas de saúde e muita dificuldade financeira. Durante este período, em 2016, o meu pai faleceu e com isso, comecei a sentir uma tristeza profunda, somada a todos os demais problemas que já vivia. Um ano depois, fui diagnosticada com uma forte depressão, a par do transtorno de ansiedade. Perdi 10 quilos em 2 meses, por muitas vezes não conseguia sair de casa, comer e nem mesmo tomar banho, só queria ficar deitada. Tinha insónias, crises de vómito e uma forte dor no peito. Foram os anos mais difíceis da minha vida. Porém, mesmo estando numa situação extremamente difícil, onde tudo havia perdido o sentido, tomei a decisão de mudar a minha vida por completo e assim, decidi mudar-me para Espanha, onde já tinha os meus primos e acreditava que, com esta mudança, poderia encontrar a evolução que tanto buscava. Ainda no Brasil, dediquei intensamente, segui todas as orientações, fiz um donativo especial de agradecimento por esta oportunidade e em julho de 2018, cheguei a Espanha, com o Sonen de dedicar na construção do Paraíso Terrestre.

Como tinha muito pouco dinheiro e ainda não tinha emprego, inicialmente, passei a viver com os meus primos, até que conseguisse organizar a minha vida e seguir o meu caminho de forma independente. Fui recebida com muito carinho e senti-me muito acolhida. Entretanto, a convivência diária não era fácil, pois eles já tinham a sua rotina e um modo de vida totalmente diferente do meu, restando somente adequar-me e assim o fiz. Toda esta mudança não foi fácil, a cada dia necessitava de me adaptar a algo novo, sentia-me só e muitas vezes chorava ao pensar se iria atingir os meus objetivos, mas no meu interior, algo me dizia que estava no caminho certo.

Nessa situação económica, tinha muito apego e dificuldade para realizar os donativos de gratidão, algo que no Brasil não acontecia, mas era sempre orientada pelo Ministro a não ter medo e a compreender que os donativos são a materialização da nossa gratidão a Deus e Meishu-Sama e, que através destes, ganhamos a permissão de crescer e prosperar.

Sou advogada e um dos meus objetivos era atuar na minha área, em Espanha. Fiz uma pós-graduação e consegui estagiar num sindicato onde pude aprender muito. Houve meses que mal tinha o dinheiro do bilhete de comboio para ir à Universidade e ao estágio, porém, nem por um segundo pensei em desistir e, aos poucos, comecei a conseguir clientes. Além destes, comecei também a trabalhar pelas manhãs como ama, a cuidar dos filhos do meu primo. Fazia igualmente comidas típicas do Brasil para vender e assim, conseguia sempre o suficiente para suprir as minhas necessidades e suportar os meus gastos mensais. Neste período inicial, graças à ajuda de familiares e amigos, aos poucos, segui adiante.

Em janeiro de 2019, conheci o meu noivo e após 5 meses, formalizamos a nossa relação através da União Estável no Cartório. Com isso pude mudar a minha autorização de residência, permitindo-me trabalhar regularmente em Espanha. Havia acabado a pós-graduação e com o seu apoio, decidi continuar os estudos, resolvendo então fazer um mestrado.

Apesar de me ter esforçado nas dedicações no Brasil, ter ganho a permissão de me mudar para Espanha, ter recebido muitas bênçãos e também ter continuado a dedicar, refleti e reconheci que ainda não me estava a empenhar na prática do donativo de gratidão. Mais uma vez, conversei com o Ministro, que voltou a orientar-me sobre a importância de o fazer corretamente, ou seja, com amor, gratidão, sem apego e no mínimo, 10% dos meus ganhos, ressaltando que Meishu-Sama jamais deixaria de prover as minhas necessidades e que o donativo também significava gratidão aos meus Antepassados. Além disso, lembrei-me de uma orientação que recebi do Ministro que me acompanhava no Brasil, por ocasião da realização do donativo especial que fiz pela permissão de me mudar para Espanha. Ele disse-me que naquele momento, eu teria somado “crédito” no Mundo Espiritual, porém, quando chegasse a Espanha, em algum momento, esse terminaria e, por isso, não poderia deixar de dedicar e deveria manter a regularidade na prática dos donativos.

Assim, comprometi-me a empenhar-me em ser mais útil à Obra Divina, buscando tornar-me numa pessoa mais humilde, mais altruísta, visando sempre a felicidade do próximo. Comprometi-me a cuidar das pessoas, tendo por base os princípios da Fé Messiânica.

Durante o Culto de Ano Novo de 2020, o Ministro comunicou o objetivo da Igreja de comprar um imóvel para ser utilizado como Johrei Center de Barcelona, já que atualmente as atividades da Igreja são realizadas exclusivamente na casa dos membros. Senti uma felicidade muito grande, pois seguramente nos permitirá dedicar mais, fazer mais pessoas felizes e expandir a Obra Divina em Espanha.

Porém, entretanto, veio a pandemia e, consequentemente, o confinamento. Juntamente a isso surgiu em mim o sentimento de que tudo que eu havia planeado não seria possível de colocar em prática. As primeiras duas semanas do confinamento foram assustadoras; o medo, a insegurança, muitas incertezas e, inclusive, o mal-estar de tanta ansiedade que sentia. Passados os primeiros quinze dias, dei-me conta de que estava a pensar materialmente e que necessitava de me realinhar com os Ensinamentos de Deus revelados a Meishu-Sama.

Neste momento, recordei-me de todos os compromissos que havia estabelecido no final de 2019. Mudei totalmente o meu sentimento, começando a orar diariamente pelas pessoas que estavam em sofrimento e pelos espíritos que a cada dia nasciam no Mundo Espiritual; ligava para cada pessoa que conhecia e que sabia que estava em sofrimento e mesmo à distância, dava-lhes apoio, assim como, mesmo sem ter qualquer remuneração durante o confinamento, praticava o donativo diário com o objetivo da compra do imóvel para o Johrei Center. Assistia virtualmente aos Cultos Diários das Igrejas de Portugal e do Brasil, agradecendo a Deus e a Meishu-Sama por todas as proteções e bênçãos recebidas. Empenhei-me incansavelmente na minha pesquisa do mestrado, conseguindo dar continuidade virtualmente. O meu noivo e eu tivemos a oportunidade de fortalecer os nossos laços e nos unir cada dia mais. Sentia que mesmo com as dificuldades impostas pela pandemia, tudo caminhava perfeitamente na minha vida.

Em junho, quando terminou o estado de emergência e aos poucos as atividades voltaram a funcionar, impressionantemente, foram surgindo novos clientes a cada semana. Realizava os donativos com toda a gratidão e sem qualquer apego. Fui percebendo a força do donativo e nunca deixava de o fazer, inclusive, comecei a praticá-lo de forma antecipada, antes mesmo de conseguir um novo cliente. Os resultados eram infalíveis!

Sentia, a cada dia, as mudanças positivas na minha vida. Ganhei a permissão de ministrar Johrei na minha sogra pela primeira vez e ela, mesmo sem entender, começou a chorar e disse-me que se sentia muito emocionada, pois, espontaneamente, recordou muitos momentos da sua vida. Tive também a oportunidade de servir como instrumento de Deus na vida de uma grande amiga, que estava afastada da Igreja há muitos anos e ganhou a permissão de reconsagrar o seu Ohikari. Ela, que também é advogada, tinha feito a mesma pós-graduação que eu e já há muito tempo que estava desempregada. Porém, pouco mais de um mês após ter reconsagrado o Ohikari, foi abençoada com um emprego.

Pouco tempo depois, sem esperar, recebi uma chamada de um amigo do meu primo, oferecendo-me um emprego e uma percentagem na sociedade, para trabalhar na minha área profissional. Não conseguia acreditar no que estava a acontecer! Senti que realmente tinha cumprido o meu compromisso na Obra Divina e que através da soma de méritos, tive a permissão de receber esta grandiosa bênção.

Após alguns dias, a minha amiga que havia reconsagrado o Ohikari e conseguido emprego, ligou-me e disse-me que o seu chefe me estava a chamar para uma entrevista. Agradeci-lhe infinitamente por se ter lembrado de mim, mas recusei por já estar a trabalhar. Juntas, refletimos o quão incrível era este momento para nós e que era inimaginável, depois de tantas coisas, ter chegado ao ponto de estar a recusar uma oportunidade de trabalho! Só Deus e Meishu-Sama podiam ter realizado tantos milagres!

Com todas estas maravilhosas experiências e bênçãos, renovo o meu compromisso com Deus, Meishu-Sama e com os meus Antepassados, em continuar a dedicar incansavelmente na Obra Divina, fazendo muitas pessoas felizes e sendo útil na Construção do Paraíso Terrestre.

Agradeço a Deus e a Meishu-Sama, ao Ministro por todas as orientações e a todas as pessoas que me ajudam a cumprir a minha missão em Espanha.

Muito obrigada!

Comentários não disponíveis.