Culto Mensal de Agradecimento – Sede Central – Setembro 2020

PALESTRA DO PRESIDENTE DA IGREJA MESSIÂNICA MUNDIAL DE PORTUGAL

REV. CARLOS EDUARDO LUCIOW – SETEMBRO 2020

Bom dia a todos!
Espero que os senhores estejam a passar bem.

Gostaria de agradecer a vossa sincera dedicação que nos possibilita expandir cada vez mais a Obra Divina de Deus e Meishu-Sama em Portugal! Muito obrigado!

Como ainda temos restrições para nos reunir fisicamente, o Culto de hoje, pelo sexto mês consecutivo, foi realizado com transmissão online e, também este mês, fiquei muito feliz e grato em conseguir estar na Sede Central, a realizar este Culto com todos os senhores e com os Ministros da Expansão, que também estão presentes, como vossos representantes.

Mesmo que virtualmente, estamos unidos no mesmo sentimento e tenho a certeza de que a Luz deste Altar chegou aos vossos lares. Sinto também que o vosso amor e carinho chegam até mim numa vibração muito intensa. Muito obrigado!

No final do mês passado, pela primeira vez, tive a permissão de visitar os membros do sul de França, onde realizámos o Culto Mensal de Agradecimento, outorga da Luz Divina – Ohikari – de três novos membros franceses, reuniões para a prática de Johrei e estudo de Ensinamento, confeção de Flores de Luz e Vivências de Ikebana. No total, encontrei com 12 membros e 12 frequentadores. Fiquei muito feliz em constatar o empenho destas pessoas na difusão do Johrei e dos Ensinamentos de Deus revelados a Meishu-Sama. Aproveito esta oportunidade para lhes agradecer, do fundo do coração, o carinho e a hospitalidade com que me receberam. Muito obrigado!

Ontem, a partir da Sede Central, realizámos o Seminário Nacional de preparação para o Culto Anual pela Salvação dos Antepassados por videoconferência. No total, tivemos a participação de mais de 100 pessoas de todas as Unidades Religiosas do país. Após a oração, fiz a minha saudação de abertura, enfatizando a nossa preparação para este importante Culto, tendo as três Colunas da Salvação como alicerce para a soma de virtudes visando a salvação dos nossos Antepassados. De seguida, assistimos a uma vídeo-aula com o Min. Santana, responsável pelo Setor de Sorei-Saishi da IMMB, que nos orientou sobre o sentimento e a forma correta de cultuar os Antepassados nesse dia tão especial.

Sucessivamente, os participantes foram divididos em salas virtuais, dirigidas pelos Ministros, onde estudaram a forma como iriam colocar em prática as orientações recebidas e puderam esclarecer as suas dúvidas.

Como encerramento, houve a apresentação das conclusões por um representante de cada grupo e uma oração conjunta, solicitando a Deus e Meishu-Sama a permissão para colocarmos em prática os objetivos criados, junto com os nossos Antepassados.

No Ensinamento de hoje: “A respeito dos elos espirituais”, publicado no Alicerce do Paraíso vol. II em português de Portugal, Meishu-Sama orienta-nos:

“(…) Os elos espirituais não ligam o ser humano apenas aos parentes próximos que estão vivos, eles também o ligam àqueles que se encontram no Mundo Espiritual, sendo que também existem elos que se ligam às forças do bem e os que se ligam às forças do mal. Evidentemente, as forças do bem estimulam a prática do Bem e as do mal, o contrário. Assim, o ser humano é constantemente influenciado pelo Bem ou pelo Mal. (…)”

Por analogia, podemos comparar os elos espirituais às cordas que unem os alpinistas durante a escalada. Quando o primeiro sobe e ganha um metro a mais, fixa a corda na rocha e essa conquista, não é só para ele, pois assim, vai abrindo o caminho e facilitando a subida de quem vem atrás. Mas, pelo contrário, se algum deles cair, coloca em risco não só a sua própria vida, mas também, de todo o grupo. Com esta consciência, devemos ter em mente que não dedicamos só para nós, mas sim, em conjunto com todos aqueles com quem temos elos espirituais, estejam eles no Mundo Material ou no Mundo Espiritual.

Da mesma forma que no alpinismo há vários tipos de equipamento conforme o tipo de percurso, na nossa “escalada da prática da fé”, temos as três Colunas da Salvação: Johrei, Belo de alto nível e Agricultura e Alimentação Natural como os nossos “equipamentos” para conduzir as pessoas que estão ligadas a nós, através dos elos espirituais, até ao cume da fé, que é a dedicação na construção do Paraíso Terrestre, fazendo as pessoas felizes, conforme Meishu-Sama nos orientou.

No Culto de hoje, ouvimos maravilhosas experiências de fé, relacionadas com as três Colunas da Salvação.

A primeira, da Sra. Irina Strelchenko, que nasceu numa sociedade onde era proibido acreditar na existência de Deus e, por intermédio do recebimento de Johrei, inicialmente, mudou o sentimento em relação ao marido, despertando a sua curiosidade e por isso, passou a frequentar o Johrei Center.

Em seguida, a sua mãe, que enfrentou uma severa purificação, chegando a ser internada numa clínica de cuidados paliativos, através da assistência religiosa, curou-se e está bem de saúde até hoje.

Por ter vivido estes dois milagres, a Sra. Irina tornou-se membro recebendo o Ohikari, para se dedicar à felicidade dos outros como haviam feito com ela.

Passados dois anos, graças a essas experiências vividas com o Johrei, enfrentou com coragem e esperança uma séria purificação de cancro no intestino. Gostaria de ressaltar a intensa assistência religiosa que ela recebeu, de 4 a 7 horas diárias, e a sua persistência também em, à noite, transmitir auto-Johrei.

Esta assistência intensiva permitiu-lhe enfrentar a rigorosidade dos tratamentos médicos com relativa facilidade, contrariamente a outros pacientes à sua volta, surpreendendo inclusive os médicos, que declararam nunca ter visto um paciente ultrapassar o tratamento dessa forma. Mesmo ainda em tratamento, desejou receber a Imagem Consagrada de Meishu-Sama, com o objetivo de praticar a fé no lar.

No fim do ano passado, passou o Natal e o Ano Novo hospitalizada durante 21 dias, continuando a receber assistência diária de Johrei e, passada essa fase, em fevereiro deste ano, os médicos confirmaram que ela havia vencido o cancro.

Para uma pessoa que não acreditava em Deus, estas experiências transformaram-na por completo e passou não só a acreditar Nele, como também, a servi-Lo na salvação de outras pessoas. Este sim, foi o grande milagre; a sua transformação de materialista e egoísta em espiritualista e altruísta.

Em seguida, ouvimos a experiência sobre o Belo com a Sra. Patrícia Garcia que, é membro do Johrei Center do Porto e aluna de Ikebana da escola Sanguetsu.

Com o desejo de mudar a atmosfera espiritual da casa da sua sogra, várias vezes levava Ikebanas mas, não via grande recetividade e interesse por parte dela. Além de tudo, apesar de ter um jardim grande com flores naturais, preferia usar na sua casa flores artificiais.

Quando a Sra. Patrícia adoeceu, a sogra foi a sua casa ajudá-la como de costume e, para sua surpresa, levou camélias do seu jardim e adornou a sua casa com várias composições florais.

A partir desse dia, ela substituiu as flores artificiais pelas naturais, o que promoveu a mudança da atmosfera espiritual do seu lar, dando-lhe motivação para se dedicar na arrumação e limpeza da casa.

Meishu-Sama ensina-nos que o mal não gosta das flores. A partir do momento em que ela começou a colocar flores na sua casa, espiritualmente falando, “desalojou” as forças do mal que ali habitavam e a influenciavam negativamente.

Esse resultado deve-se à Luz de Deus e Meishu-Sama impregnada nos Ensinamentos e Ikebanas da Escola Sanguetsu, que a libertaram dos elos espirituais negativos que ela mantinha com aquelas forças do mal e criaram novos elos espirituais positivos com as forças do bem.

Embora pelo mundo haja mais de 3000 escolas de Ikebana, nenhuma tem o objetivo de salvar pessoas como a nossa.

E por último e não por isso menos importante, ouvimos a experiência de fé da Profª de Ikebana Sueli Oyama, que estudando os Ensinamentos de Deus revelados a Meishu-Sama nos encontros de Agricultura Natural do Johrei Center do Porto, despertou para a importância da terra. Apesar de ser professora de Ikebana há bastante tempo e sempre ter tido um grande amor pelas flores, nunca tinha refletido sobre o facto de que sem o solo, não existiriam as flores. A partir dessa reflexão e da constante dedicação na sua horta caseira, começou a não só a agradecer as flores, mas também, à terra, que as nutre e as faz crescer e florescer.

As suas violetas que ela tanto gosta mas sempre morriam ou não floresciam, apesar de as cuidar bem e falar com elas, começaram a florir a partir do momento em que ela começou também a agradecer a terra, confirmando assim o que Meishu-Sama nos orienta no Ensinamento “Princípio da Agricultura Natural”:

“(…) O homem, até agora, pensava que a vontade-pensamento, assim como a razão e o sentimento, limitavam-se aos animais. Entretanto, existem também no Solo e nas plantações. Assim, respeitando-se e amando-se o solo, a sua capacidade natural manifestar-se-á ao máximo. (…)”

O princípio acima estende-se também à alimentação, pois muitos de nós, com certeza, antes das refeições, agradecemos os alimentos, mas esquecemos de agradecer a terra que os doou.

Certa ocasião, o nosso saudoso Revmo. Tetsuo Watanabe orientou-nos sobre uma lenda japonesa chamada “Yomotsu Hirassaka no Tatakai” que conta sobre a luta entre duas divindades. Uma, representava o Bem, a construção e a outra, o Mal, a destruição.

No final dessa luta, a divindade do Mal disse: “Todos os dias, vou matar 1000 pessoas para destruir o mundo!” ao que, a divindade do Bem retorquiu: “Se você matar 1000 pessoas, eu vou criar 1500 novas vidas todos os dias!”

No mundo, existem três tipos de pessoas:
1. Homens que matam, destroem e fazem os outros infelizes;
2. Homens que não fazem nada, nem bem e nem mal, sendo assim, completamente inúteis;
3. Homens que salvam, constroem e se dedicam à felicidade do próximo.

Nos dias de hoje, constatamos que muitas pessoas estão a trabalhar no primeiro grupo para a destruição do mundo, e acredito que, muito provavelmente, este número irá aumentar. Vemos, também, algumas pessoas que pertencem ao segundo grupo que não estão a fazer nada, e essas também, cada vez mais, demonstrarão a sua natureza omissa, o que também pertence ao Mal.

Tenho a certeza absoluta de que, nós messiânicos, que nos dedicamos incansavelmente na prática das três Colunas da Salvação, juntamente com os nossos Antepassados, fazemos parte deste último grupo, servindo a Deus Supremo e a Meishu-Sama na construção do Paraíso Terrestre.

Vamos aproveitar os próximos 56 dias até ao Culto Anual pela Salvação dos Antepassados para dedicar em sinergia de forças com os nossos queridos Antepassados, na salvação do maior número possível de pessoas.

Espero, no final deste mês, ter a permissão de Deus e Meishu-Sama de poder voltar a visitar as Unidades Religiosas e encontrar pessoalmente com todos os senhores, pois já sinto uma grande saudade.

Despeço-me com um forte abraço, desejando-vos um bom mês e que a Luz de Deus e Meishu-Sama nos abençoe e proteja a todos.

Muito obrigado!

Comentários não disponíveis.