Culto do Paraíso Terrestre – Sede Central – Junho 2020

CULTO DO PARAÍSO TERRESTRE ACUMULADO COM O CULTO MENSAL DE AGRADECIMENTO – JUNHO DE 2020

PALESTRA DO PRESIDENTE DA IGREJA MESSIÂNICA MUNDIAL DE PORTUGAL

REV. CARLOS EDUARDO LUCIOW – JUNHO 2020

Bom dia a todos!
Espero que os senhores estejam a passar bem.

Gostaria de agradecer a vossa sincera dedicação que nos possibilita expandir cada vez mais a Obra Divina de Deus e Meishu-Sama em Portugal! Muito obrigado!

O Culto de hoje, pelo terceiro mês consecutivo, foi realizado com transmissão online porque ainda temos restrições para nos reunir fisicamente, mas, desta forma, conseguimos mesmo que virtualmente, estar unidos no mesmo sentimento. Tenho a certeza de que a Luz do Altar da Sede Central de Portugal chegou a todos os membros portugueses e também, aos membros de outros países que desejaram assistir à transmissão.

Confesso que, nos meses passados, nutria a esperança de que o Culto de hoje fosse realizado na Casa de Meishu-Sama em Portugal, como de costume. Mas, com a aproximação da data, essa possibilidade desvaneceu-se e perguntei-me do porquê de Meishu-Sama ter tomado essa decisão; cheguei à conclusão de que Ele, no seu infinito amor, desejou realizar este importantíssimo Culto dentro das nossas casas, demonstrando assim o que Ele nos ensinou, que a construção do Paraíso começa nos nossos lares. Esta é uma permissão que até hoje nunca tivemos e é motivo de muita gratidão.

No dia de hoje, celebra-se o Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas e assim, gostaria de parabenizar todos os portugueses pelo seu dia e, juntos, manifestarmos a nossa gratidão por este país maravilhoso que é Portugal, pelos nossos Antepassados portugueses que tanto se destacaram, principalmente, nos Descobrimentos e nos campos da Religião, Literatura e Arte. O nosso país, além de possuir infinitas belezas naturais, tem uma grande riqueza enogastronómica, mas, acredito que o seu bem mais precioso, é o sentimento do seu povo, que recebe todos com simpatia e hospitalidade.

Gostaria de comunicar a todos a nomeação do novo Presidente da Igreja Messiânica Mundial – Izunome. Seguindo o regulamento da Igreja, o Diretor de Expansão e membro do Conselho Deliberativo da nossa Igreja, Reverendo Kiyoaki Sugihara, foi escolhido pelos membros do Conselho Deliberativo como Presidente da Igreja Messiânica Mundial – Izunome. A posse ocorreu no dia 30 de abril e os procedimentos oficiais de registo foram concluídos no dia 29 de maio.

O presidente anterior, Reverendo Masayoshi Kobayashi, diante de uma purificação sem precedentes, protegeu o Solo Sagrado e a nossa Igreja, do começo ao fim, movido pela sua convicção na fé em Meishu-Sama. Além disso, o Reverendo Kobayashi ensinou-nos sobre a prática do Johrei e do amor altruísta, centralizados nos Ensinamentos de Deus revelados a Meishu-Sama.

Imbuídos do sentimento e da postura que herdamos do Reverendo Kobayashi, desejamos que – em meio a uma sociedade que está a passar por grandes mudanças – todos nós, membros e ministros, unidos ao novo Presidente, Reverendo Kiyoaki Sugihara, sigamos com espírito de busca e coragem, empenhando-nos na Obra Divina de salvação da humanidade e construção do Paraíso Terrestre. Nesse sentido, desejamos, do fundo do coração, continuar a contar com o apoio e compreensão de todos.

Hoje estamos a comemorar o Culto do Paraíso Terrestre que é, sem dúvida, um dos Cultos mais importantes da nossa Igreja. Este ano, por causa da pandemia que estamos a passar, este Culto que comemora a Transição da Era da Noite para a Era do Dia, assume um significado ainda mais profundo, pois a atual situação mundial demonstra claramente que houve um aumento significativo da energia do espírito do fogo, que provocou uma grande queima de máculas espirituais e a consequente eliminação das toxinas da matéria.

Estamos a viver e viveremos cada vez mais, épocas de grandes mudanças, em todos os setores da vida humana. Historicamente, sabemos que as grandes guerras mundiais, grandes cataclismas e as pandemias sempre foram aceleradores do progresso e da evolução. Muita gente pensa, de forma equivocada, que a Teoria da Evolução de Darwin diz que sobrevive o mais forte, mas isso não está correto; prova disto, é a extinção dos dinossauros, que apesar de serem os mais fortes, não tiveram a capacidade de sobreviver ao Período Glacial. O que ele disse foi que sobrevivem aqueles que têm maior capacidade de se adaptar às mudanças, sejam elas quais forem, ou seja, a evolução dá-se pela capacidade de se reinventar perante a necessidade de mudança. No momento atual, de transição da Era das Trevas para a Era da Luz, quem ficar preso à forma de ser da Era da Noite, naturalmente, não sobreviverá ao aumento da vibração energética proveniente do Sol. Sobreviverão somente aqueles que tiverem a capacidade de adaptação a essa Nova Era.

No mês passado, no Seminário Nacional para Missionários, de preparação para o Culto do Paraíso Terrestre, estudámos o Ensinamento: “Deus dirige a expansão da nossa Igreja”, onde Meishu-Sama nos orienta que a construção do Paraíso Terrestre é o objetivo principal da nossa Igreja e com esse propósito, cada um de nós deve, em primeiro lugar, criá-lo no seu próprio lar. Para isso, cada um deve tornar o seu coração paradisíaco. E Meishu-Sama é claro e categórico, ao afirmar que, o melhor método para criar um coração paradisíaco, é através do sentimento de gratidão.

Vamos analisar as diferenças existentes nos pensamentos, palavras e ações do homem da Era das Trevas e do homem da Era da Luz:

Era das Trevas Era da Luz
Não acredita em Deus e é materialista Acredita em Deus e vive segundo as Suas Leis
Ingrato e lamuriento Grato por tudo e por todos em qualquer circunstância
Egoísta Altruísta
Pensa só no seu grupo Universalista
Apegado Desapegado
Triste Alegre
Shojo ou Daijo (Extremista) Izunome (Equilibrado conforme a necessidade)
É indiferente ou não gosta de flores Aprecia as flores e procura tê-las à sua volta
Indiferente à sujidade Limpeza e higiene
Gosta de fast-foods e alimentos não-naturais Busca uma alimentação saudável e natural
É vingativo Sabe perdoar
Vícios e maus hábitos Hábitos saudáveis
Antipático e frio Simpático e caloroso
Gula Alimentação moderada
Avareza Generosidade
Luxúria Pureza
Ira Serenidade
Inveja Alegra-se com o bem do próximo
Preguiça Bem-disposto e dinâmico
Ignorância Sabedoria
Falta de honra e caráter Dignidade
Oportunista e carreirista Meritocrático
Orgulho e vaidade Humildade e simplicidade
Só convive com quem pensa como ele Busca viver harmoniosamente com todos indistintamente
Vive na mentira e falsidade Vive na Verdade
Não tem Makoto Tem Makoto: Sinceridade, fé, amor, lealdade, honestidade, fidelidade, cordialidade, verdade, devoção, correção, constância e altruísmo
Não respeita os horários e os seus compromissos Respeita os horários e honra os seus compromissos
Infiel Fiel
Não respeita a Natureza Respeita a Natureza
Esbanja e desperdiça Tudo poupa e economiza

Estes são só alguns pontos, mas certamente encontraremos muitos outros nos Ensinamentos de Deus revelados a Meishu-Sama. Esta é uma lista que nos serve para identificarmos quais dos nossos pensamentos, palavras e ações se enquadram na Era da Noite ou na Era do Dia. A nossa sobrevivência a este adentrar na Era da Luz, dependerá diretamente de estarmos em sintonia e pragmatizando a coluna da Era do Dia. O estudo aprofundado dos Ensinamentos de Deus revelados a Meishu-Sama servem objetivamente para isso; para detetarmos onde temos de mudar e assim, estarmos em sintonia com a Nova Era.

O confinamento proporcionou-nos o estudo online em grupo dos Ensinamentos de Meishu-Sama, entre os Ministros e os seus respetivos membros, e foi muito bom porque foi uma excelente oportunidade para todos estudarem e aprofundarem os Ensinamentos. Mas, a partir de agora, retomando as atividades, temos que começar a colocar em prática tudo aquilo que estudámos, porque a teoria e a prática são como as duas pernas, direita e esquerda, que para caminharmos, para irmos para a frente, temos que alternar, um passo com uma, um passo com a outra. Se a perna esquerda ficar parada e caminharmos só com a direita, vamos girar em torno de nós próprios… e ao contrário, é a mesma coisa. Quem só tem teoria ou quem só tenha a prática, ambos dificilmente vão poder progredir, tanto quanto quem, proporcionalmente, desenvolve ambas, a teoria e a prática, porque é através da prática da teoria que vai nascer o resultado; só que, com a prática, aparecem as dificuldades, e a superação destas, também faz parte do processo de crescimento; não basta nos enchermos de bons propósitos, grandes objetivos, se depois não tentarmos concretizá-los.

Meishu-Sama é o nosso modelo de homem paradisíaco, porque Ele viveu, pragmatizou tudo aquilo que nos ensinou. Todas as três Colunas da Salvação, Ele mesmo praticou e vivenciou. A Sua força de orientação provém da prática dos Ensinamentos que Deus lhe revelou e Ele praticou.

Meishu-Sama também vaticinou este período de purificação, precedente ao advento do Paraíso Terrestre, que estamos a viver e isso está claro nos Seus Ensinamentos, tal como consta no que foi lido no Culto de hoje, onde Meishu-Sama nos orienta:

(…) A Transição da Era da Noite para a Era do Dia no Mundo Espiritual, resultará numa experiência inédita para a humanidade: uma grande mudança que será motivo de espanto, temor e felicidade. Além disso, os seus sinais já estão a aparecer. (…)

Nós, messiânicos, sabíamos que iríamos passar por tudo isto, e por sabermos, somos muito afortunados, porque estamos tranquilos, por poder enfrentar esta situação, crescendo e nos fortalecendo através dela. Realmente, é triste ver as pessoas materialistas que ignoram ou não conseguem acreditar nesses Ensinamentos e estão a passar por tudo isso com espanto e temor, porque não veem saída para a doença, miséria e conflito, e muito menos, entendem que estas são formas de purificação.

Nós que temos o Johrei, a Agricultura e Alimentação Natural e o Belo, podemos entrar em sintonia com esta Nova Era através dessas práticas. O Johrei é essencialmente o espírito da energia do fogo, que é a energia da Era da Luz. Praticar o Johrei é “aclimatizar-se” com esta nova vibração. Desenvolver e consumir produtos da Agricultura Natural é adquirir a saúde da Nova Era. Apreciar o Belo de alto nível, é purificar o sentimento e elevá-lo ao nível paradisíaco.

O período do Rishun (4 de fevereiro) até agora, é um período de limpeza para depois, no dia 15 de junho, aumentar a Luz; visto que a limpeza foi tão intensa, é sinal de que o aumento da Luz também será proporcionalmente intenso. Comparando com anos anteriores, se a purificação foi ainda mais intensa, é sinal que Deus determinou que chegou o momento de liberar uma Luz ainda mais forte, portanto, a partir do dia 15 de junho, o Johrei passará a ser ainda mais eficaz, irradiará mais Luz do que antes. A Agricultura Natural, também passará a dar frutos ainda mais ricos em energia vital, e o Belo, passará a purificar ainda mais intensamente os nossos sentimentos.

Toda a Verdade contida nos Ensinamentos de Deus revelados a Meishu-Sama que viemos estudando, ao longo desse período, cada um vai entender e aceitar conforme for o seu nível espiritual. Daí a importância de elevarmos o nosso nível espiritual, para termos a permissão de compreender e aceitar essa Verdade contida nos Ensinamentos, na sua plenitude. Todas as teorias são muito bonitas no papel, mas, na prática, esbarram no nosso limite humano, portanto, ampliar e superar esse limite, é a condição básica para estarmos em sintonia completa com Deus e Meishu-Sama, e essa superação, só é possível através das práticas básicas da fé no dia a dia.

Portanto, agora que já recomeçámos a frequentar as Unidades Religiosas, não podemos voltar com o mesmo espírito e sentimento de antes, temos de fazer uma reflexão profunda e voltar com os nossos pensamentos, sentimentos e atitudes mais próximos dos pensamentos, sentimentos e atitudes de Meishu-Sama. Evolução quer dizer isso. Evolução quer dizer crescimento e não existe crescimento com apego aos maus hábitos e à rotina.

No Culto de hoje, ouvimos quatro maravilhosas Experiências de fé.

A Sra. Isabel Freire, sofria de síndrome do pânico e depressão por causa de vários assaltos e outros problemas que passou no Brasil. Mudou-se para Portugal, achando que, como o país é calmo e seguro, iria resolver o seu problema, mas, cá chegando, os problemas continuaram, o que demonstrou que a causa não estava no país onde vivia, mas sim, no seu próprio espírito. Ela, que é formada em contabilidade e gestão de recursos humanos, por necessidade, começou a trabalhar fazendo limpezas e como costureira, e isso é muito admirável, pois demonstrou que foi capaz de se reprogramar e de se adaptar à nova situação que se apresentou. Muitas pessoas sofrem porque não querem mudar. Não querem fazer algo diferente daquilo que sempre fizeram ou se acreditam capazes de fazer. Quando ela começou esses novos trabalhos, foi orientada pelo Ministro a fazer 10% de gratidão de tudo aquilo que ganhasse, independentemente da quantia, por menor que esta fosse. Esse também é outro ponto que muitas pessoas têm dificuldade em entender. O dízimo não tem que ser só de grandes quantias; seja quanto for, 10% de 1,00€ ou 10% de 1.000.000€, para Deus, ambos são 10% do esforço, e muita gente acha que: “Como só ganhei 1,00€, não vou fazer 0,10€ de donativo porque é uma moedinha insignificante!” Não! É sempre 10% do seu suor que vai entregar a Deus, para Ele utilizar na expansão da Obra Divina, fazendo as pessoas felizes. E a gratidão impregnada naquela moedinha, vai chegar a si em forma de Luz, e essa Luz vai proporcionar cada vez mais o seu progresso económico.

Com a pandemia, o normal seria ela voltar a ter pânico e depressão, mas, ela própria reconhece que, graças à dedicação, sentiu-se mais forte e isso não voltou a acontecer. Assim, sentiu vontade de fazer uma gratidão integral, mas, apesar de o seu marido ter sido contra, ela não desistiu. Isso é um ponto importante que, muitas vezes, as pessoas não dedicam, não fazem gratidão, porque dizem que: “Ah, eu não quero criar conflito em casa!” Mas, ela não criou conflito e achou outro modo para materializar o seu sentimento; uma coisa muito bonita, foi o facto de ela ter escrito o valor do donativo que pretendia fazer num papel, colocando-o dentro de um envelope, sentindo dentro do seu coração que aquele donativo já lá estava. A força do seu Sonen, grande, positivo e constante, permitiu que depois, falando com a mãe, tivesse a ideia de fazer máscaras para vender. E, por incrível que pareça, em apenas 17 dias, alcançou o seu objetivo e materializou a sua gratidão. O mais importante de tudo isso, é a felicidade enorme que ela sentiu. E que felicidade é essa? É a felicidade que, através daquela gratidão, feita com amor para a Reforma da Sede Central, pôde estar junto com os seus Antepassados, participando efetivamente da construção do Paraíso Terrestre, pois a Reforma da Sede Central integra a construção do Paraíso Terrestre. No final, ela conclui dizendo que entendeu que os problemas são dificuldades para o seu crescimento e comprovou que só temos saúde, paz e prosperidade, se nos dedicarmos na construção do Paraíso Terrestre, com o desejo sincero de materializar a nossa gratidão a Deus e Meishu-Sama. Dessa forma, os caminhos abrem-se naturalmente e não temos impedimentos e obstáculos, pois, estes são criados por nós mesmos.

Agora, já pretende receber a Imagem Consagrada de Meishu-Sama, que para ela é um grande desafio, mas entendeu que não serão as dificuldades que a vão impedir de realizar mais esse sonho, porque já aprendeu que não há limites e que quando esses se apresentam, são para o seu crescimento e não para desmotivá-la. É também importante salientar a humildade e a obediência com que ela seguiu a orientação do seu Ministro, porque seguindo essa orientação, ela praticou, teve esse resultado, e superando as dificuldades, sentiu o verdadeiro sabor da fé.

A Aline de Santana, buscando melhores perspetivas de vida, mudou-se para Portugal, só que ela também achava que mudando de país, iria resolver os seus problemas e isso também não aconteceu. A sua vida não melhorou, continuaram os seus problemas de trabalho e de habitação, e isso levou-a a ter depressão, raiva, revolta e desconfiança. Esses sofrimentos motivaram-na a buscar dedicação na Igreja, que ela procurava fazer mesmo quando não estava bem, porém, na Igreja sentia-se um pouco melhor, no entanto, regressando para casa, voltava a centrar-se nos seus problemas e retornava todo o mal-estar. Com a pandemia, já não podia nem mais ir à Igreja e dessa forma, entregou-se ao sofrimento e chegou à triste conclusão que tinha vindo para Portugal para sofrer e assim, através desse sofrimento, purificar as máculas dos seus Antepassados. Entretanto, recebeu do Ministro o convite para participar nos estudos de Ensinamentos e estes deram-lhe a força para desejar participar do Seminário Nacional de preparação para o Culto do Paraíso Terrestre. Ela ganhou forças, no Seminário estudámos o Ensinamento: “Deus dirige o trabalho de expansão da nossa Igreja”, e ela ouviu na minha palestra, que muitos Antepassados ainda estão no Mundo Espiritual pensando que deviam continuar a sofrer, mas que nos cabia, comunicar-lhes que não era mais necessário sofrer, pois através da dedicação na Obra Divina, eles poderiam viver felizes e salvarem-se. Aí, refletiu que realmente, os seus Antepassados, a sua avó e a sua mãe, sempre conservaram muito o sofrimento como um “fardo que tinham de carregar”. Quando ela entendeu isso e mudou o seu Sonen, que não era mais necessário sofrer, os seus Antepassados, através dela, também receberam esse Divino Ensinamento, e pela primeira vez, sonhou com o seu avô feliz, cantando, sorrindo, completamente libertado do sofrimento. A partir daí, começou a esforçar-se na preparação para o Culto do Paraíso Terrestre, fazendo a horta em casa e Flores de Luz, e sente que a cada dedicação que faz, as mãos dos seus Antepassados estão juntos com ela. A partir dessa mudança, iniciou um novo trabalho com excelentes condições que inclusive lhe permitirão continuar a dedicar. Hoje, adquiriu a convicção de que o estudo aprofundado dos Ensinamentos de Deus revelados a Meishu-Sama são um ponto crucial para o esclarecimento e salvação dos Antepassados, pois justamente, quando os Antepassados estudam os Ensinamentos junto connosco e nós lhes comunicamos esse estudo, eles adquirem esse conhecimento no Mundo Espiritual, e esse esclarecimento, leva-os à Luz da Salvação. Então, não devemos nunca estudar sozinhos, mas sim, sempre junto com eles, dando-lhes a nova visão da Era de Luz que estamos a adentrar. Esta experiência demonstra claramente a passagem dela, junto com os seus Antepassados, de uma vida da Era da Noite para a Era do Dia.

A Sra. Luísa Urbano, também participou do Seminário Nacional e, entre tantos objetivos, criou também o de, através da horta caseira da Agricultura Natural, ligar o seu filho com Meishu-Sama. Os dias passaram-se até que, ao encontrar-se com o Ministro, este perguntou-lhe se estava a realizar o seu objetivo, ao que ela lhe disse que ainda não havia feito porque estava a ter dificuldades. Aí, o Ministro disse-lhe francamente para não ficar criando desculpas, mas sim, buscar a ação. Com essa orientação, ela corrigiu o seu Sonen e, saindo da Igreja, comprou o material para realizar o seu objetivo. Com a força da busca na materialização e a correção do seu Sonen, as dificuldades foram superadas, inclusive, a preocupação com o trabalho do filho. Essa experiência demonstra que, em todas as três Colunas de Salvação, recebemos graças e servimos na Obra Divina, basta que não deixemos as dificuldades e os obstáculos serem mais fortes que a nossa determinação.

A Sra. Selma Rosa, vendo as fotos das dedicações de Limpeza Espiritual em locais públicos, no grupo de WhatsApp da sua Unidade Religiosa, desejava também um dia poder participar, mas nunca tinha conseguido vencer as suas dificuldades, pois justificava-se em não o fazer por ter uma bebé pequena. Até que um dia, ao ver o marido muito nervoso e agressivo, sentiu que não se manifestaria só ele naquela agressividade toda, mas também, que seria a manifestação dos seus Antepassados; assim, ganhou coragem e mesmo com a sua bebé no carrinho, foi fazer a dedicação de Limpeza Espiritual na sua rua. Na volta, ele estava carinhoso e normal como sempre foi. Com isto, ela aprendeu que não devemos esperar que os Antepassados se manifestem para termos força para dedicar, pois assim, eles também recebem Luz dedicando junto connosco. No início, ela sempre dizia que não podia e justificava-se com a bebé mas, quando o sofrimento do marido ficou daquela forma incontrolável, superou a dificuldade da bebé e mesmo assim, fez a sua dedicação, tendo aprendido com isso que os impedimentos somos nós que os criamos; a partir daí, decidiu que todas as semanas passará a dar continuidade a essa dedicação, junto com os seus Antepassados.

Todas as experiências de fé relatadas no Culto de hoje, demonstram que estas pessoas estão a fazer esta Transição dentro delas, cada qual através da sua experiência pessoal. O Paraíso é o Mundo do Dia e estamos a entrar na Era da Luz, essa Luz é irradiada por Deus através da prática da fé; a Luz que recebemos através do estudo dos Ensinamentos, a Luz que recebemos através do Johrei, a Luz proveniente das dedicações que fazemos com amor, a Luz da nossa oferta de gratidão, a Luz da Agricultura Natural e alimentos sadios que visam dar saúde ao homem e a Luz do Belo de alto nível, que purifica os nossos sentimentos.

Para finalizar, gostaria de dizer que é o momento de termos uma grande esperança no futuro de um mundo paradisíaco, mundo esse onde Deus salvará tantos quantos estiverem comprometidos com esse plano de construção do Paraíso Terrestre. Ou seja, a esperança tem que caminhar proporcionalmente ao nosso esforço de participação efetiva nesse plano, não é esperar de braços cruzados, mas sim, trabalhando em prol da felicidade do próximo e do mundo.

Meishu-Sama, hoje orientou-nos:

(…) Aproxima-se o momento decisivo para o destino do mundo ao qual, possivelmente, ninguém conseguirá escapar. Restará apenas um método para interromper os sofrimentos numa escala mínima. Apresento, portanto, o meio para isso: conhecer o princípio do Johrei e participar no trabalho de construção da Cultura do Dia. (…)

Essa participação, Meishu-Sama nos legou quando recebemos o Ohikari. O recebimento do Ohikari é a autorização divina para participarmos desse plano, a começar pela transmissão da Luz Divina através do Johrei; em seguida, também a Agricultura Natural e o Belo. Toda a vez que colocamos o Ohikari, temos que reconfirmar esse compromisso feito com Deus e Meishu-Sama de participar ativamente na construção do Paraíso Terrestre, principalmente transmitindo Johrei para salvar o maior número de pessoas.

Despeço-me com um forte abraço, desejando a todos uma boa continuação de prática da fé neste período de desconfinamento, reforçando o nosso compromisso de continuarmos a dedicar ativamente na construção do Paraíso Terrestre, onde quer que estejamos.

Desejo um bom mês a todos e que a Luz desta Nova Era nos abençoe e dê expansão radiante às nossas almas.

Muito obrigado!

Comentários não disponíveis.