Experiência de Fé – Setembro 2020 – Patrícia Garcia

Experiência de Fé – Patrícia Mónica Pereira de Lima Rodrigues Garcia

“(…) comecei a compreender melhor a força que o Belo tem para transformar as pessoas e que, naturalmente, através dos elos espirituais, a Luz de Deus se manifesta sempre.”

Chamo-me Patrícia Mónica Pereira de Lima Rodrigues Garcia, sou membro do Johrei Center do Porto e aluna do curso de Ikebana Sanguetsu há 4 anos.

Vivifico regularmente Ikebanas no meu lar e sempre que a minha sogra me visita, repara sempre nelas e elogia-as, comentando que se sente muito bem quando está em minha casa. Ela vive numa casa antiga, com móveis antigos e apesar de ter um bom quintal com grande variedade de flores e plantas, costuma colocar flores artificiais. Sempre que a visito, sinto um ambiente “pesado” e por isso, por várias vezes, tentei despertar o seu interesse pela arte da Ikebana, oferecendo-lhe arranjos e Flores de Luz, mas ela sempre dizia que não se importava com isso, pois optava pelas flores artificiais. Isso deixava-me um pouco desapontada, pois achava que ela desvalorizava a minha oferta e até o embelezar da sua casa. Por este motivo, desapeguei e acabei por deixar de lhe levar flores.

No início do mês de março, estive adoentada e precisei de ficar acamada durante uma semana. Nessas circunstâncias, como é comum, a minha sogra foi ajudar-me. Para meu espanto, colocou em todos os cómodos da casa, arranjos florais com cameleiras que ela própria tinha colhido do seu jardim. Disse que o fez para me alegrar e até pediu desculpa por não estarem tão bonitas como as que eu fazia. Senti-me muito sensibilizada e surpreendida com a sua atitude.

Desde então, traz-me quase todas as semanas mais flores e faz questão de procurar fazer os arranjos cada vez melhor, dizendo que “estamos sempre a aprender coisas novas”.

Atualmente, em sua casa, também deixou de usar flores artificiais e com isso, ganhou mais gosto em cuidar da casa e do jardim, coisa que antes não tinha. Hoje, sinto-me muito bem quando a visito. Também passou a levar flores do seu jardim para o trabalho. Num dos Seus poemas, Meishu-Sama escreve: “Conheci a alegria do mundo ao adornar a minha sala com a camélia que floresceu no jardim”. Vejo essa alegria na minha sogra e isso deixa-me imensamente feliz também.

Sinto que através desta experiência, comecei a compreender melhor a força que o Belo tem para transformar as pessoas e que, naturalmente, através dos elos espirituais, a Luz de Deus se manifesta sempre.

Agora, o meu objetivo é fazer a horta caseira em sua casa, pois desejo muito fazê-la ainda mais feliz.

Muito obrigada.

Comentários não disponíveis.