Experiência de Fé – Novembro 2020 – Magaly Espinoza

Experiência de Fé – Magaly Torres Espinoza

“Abri as portas da minha casa para que esta se tornasse um Núcleo de Johrei e estou a acompanhar e a dar assistência a dez frequentadores.”

Chamo-me Magaly Torres Espinoza, sou peruana e vivo há 27 anos em Itália. Recebi o Ohikari há três anos em Lima (Perú) e dedico atualmente no Johrei Center de Milão.

Gostaria de relatar a minha Experiência de Fé, vivenciada antes e durante esta pandemia e que se relaciona com os meus Antepassados.

Sempre tive dificuldade para me alimentar, mas, em novembro de 2019, essa purificação intensificou-se e comecei a ter complicações com a deglutição. Não conseguia ingerir nada sólido pois tinha medo de morrer sufocada, levando, às vezes, até duas horas para conseguir comer uma refeição.

Com o passar do tempo, essa situação piorou e em fevereiro de 2020, para me alimentar, tinha que passar a comida no liquidificador e diluí-la com bastante água; tinha medo, sentia-me insegura e angustiada, mas, ao mesmo tempo, queria entender o que estava a acontecer comigo.

Como não encontrava uma explicação lógica, pedi orientação ao Ministro, que me aconselhou a intensificar as práticas básicas da Fé, especialmente, o Johrei, o estudo e prática dos Ensinamentos de Deus revelados a Meishu-Sama e as orações. Como na cidade onde resido não há outros membros, ministrava auto-Johrei antes de cada refeição.

Aos poucos, comecei a refletir, procurando entender o motivo pelo qual estava a ter que passar por essa situação. Continuei a praticar a orientação recebida e, gradativamente, ia-me sentindo um pouco melhor.

Em março de 2020, pela pandemia, ficamos todos em confinamento. Quando me sentia mal, telefonava ao Ministro para pedir ajuda. Ele sempre me dizia que a purificação se relacionava com os meus Antepassados e que deveria mudar os meus pensamentos e sentimentos, pedindo-lhes perdão e manifestando-lhes o meu sentimento de gratidão.

Como tínhamos que obrigatoriamente ficar em casa, acabava por ter bastante tempo para me dedicar à espiritualidade e, sem contar, começaram a surgir lembranças e reflexões sobre a minha mãe.

Ela teve um derrame cerebral (AVC) e, por esse motivo, nos seus últimos anos de vida, era obrigada a alimentar-se por uma sonda nasogástrica, vindo a falecer em 2017.

Conforme pensava nela, emergiam tristes lembranças, como, por exemplo, um episódio no qual, naquele dia, era minha a responsabilidade de a alimentar, mas, como precisava de sair, fi-lo de má vontade. Embora ela não conseguisse falar, estava consciente, ouvia o que nós dizíamos e hoje, tenho a certeza de que, naquelas ocasiões, ficava triste e magoada.

Os dias foram passando e dei-me por conta de estar a utilizar o mesmo suplemento alimentar que a minha mãe usava. Além disso, lembrei-me que, para poder alimentá-la, tinha de triturar os alimentos no liquidificador, da mesma forma que ultimamente vinha a fazê-lo para mim. Nesse momento, presumi que estava a viver uma purificação igual à sua! No entanto, apesar disso tudo, ainda era um pouco cética de que a purificação da minha mãe pudesse ter alguma influência sobre a minha.

Como ainda não tenho o Altar do Lar e nem mesmo a Imagem Consagrada de Meishu-Sama, fui para o quarto e recolhi-me em estado de prece. Assim que terminei, a minha atenção foi atraída para um guarda-joias onde conservo, como lembrança, uma mecha do seu cabelo e quando me virei para a porta que, apesar de estar quase fechada, permitiu que visse a sua fotografia na sala. Naquele momento, não tive mais dúvidas e fiquei muito emocionada.

Creio que, se não tivesse recebido aquela orientação do Ministro, não teria percebido aquelas mensagens do Mundo Espiritual para que eu mudasse. Imediatamente, pedi perdão à minha mãe e, com o coração repleto de gratidão, passei a orar por ela.

Comecei a melhorar gradualmente, mas não tanto como desejava. Sentia como se faltasse alguma coisa, mas não sabia o quê.

Um dia, porém, além de problemas de deglutição, comecei a sofrer também com ataques de pânico, taquicardia e falta de ar. Tinha dificuldade para respirar e vivia ansiosa. Nos momentos de crise, telefonava para o Ministro, que me escutava e me acalmava. Houve períodos em que lhe liguei várias vezes por dia.

Posteriormente, entendi a origem dessa nova purificação: naquela semana, três parentes meus faleceram de paragem cardiorrespiratória. Primeiro, o meu primo, depois, a minha tia e, por último, o meu tio. Uma família inteira extinguiu-se no decorrer de uma semana, por não haver mais descendentes! Não consigo imaginar o sofrimento e o desespero que eles sentiram nos seus derradeiros momentos.

Lembrei-me que, em vida, tiveram problemas de conflito com a minha mãe e que, antes do seu retorno ao Mundo Espiritual, essas situações familiares continuavam pendentes. Então, entendi que, tanto os ataques de pânico como a dificuldade para respirar, tinham relação com os meus Antepassados. Falei sobre esta situação ao Ministro que me explicou que embora os considerasse más pessoas, deveria ter gratidão para com eles, pois foram utilizados por Deus e Meishu-Sama e pelos meus Antepassados, para purificar as máculas espirituais da nossa família. Então, ele aconselhou-me a fazer o Sorei-Saishi para que, sufragando os meus Antepassados, eles pudessem receber a Luz de Deus, participar da Obra Divina e, assim, purificar-se e elevar-se no Mundo Espiritual. Explicou-me também que este é um meio eficaz, capaz de salvar os nossos Antepassados e que a felicidade deles, naturalmente, se reflete nas nossas vidas.

Depois de solicitar o assentamento do espírito da minha mãe e dos meus parentes, gradualmente, percebi a força espiritual do sincero sufrágio pelos Antepassados. A cada dia que passava, melhorava mais, era mais segura de mim e conseguia sentir gratidão por todos eles.

Já se passaram vários meses desde o meu último ataque de pânico. A purificação com a deglutição melhorou, ao ponto que posso afirmar ter uma vida alimentar praticamente normal. De vez em quando, muito raramente, retorna o medo de comer, mas agora, consigo autocontrolar-me. Sinto que este milagre é fruto da mudança do meu sentimento em relação aos meus Antepassados e que graças às nossas orações e ao acúmulo de virtudes, eles recebem a Luz de Deus e Meishu-Sama, elevando-se no Mundo Espiritual.

Atualmente, abri as portas da minha casa para que esta se tornasse um Núcleo de Johrei e estou a acompanhar e a dar assistência a dez frequentadores. Uma vez por mês, recebemos a visita presencial do Ministro para estudar o Ensinamento do Culto Mensal e praticar o Johrei e, uma vez por semana, reunimo-nos online para estudo dos Ensinamentos de Deus revelados a Meishu-Sama. Fico muito feliz ao constatar que, aos poucos, o nosso grupo cresce cada vez mais. Tenho o grande desejo de, um dia, poder abrir um Johrei Center na cidade onde resido, para melhor servir a Deus e a Meishu-Sama na salvação do maior número de pessoas.

Agradeço a Deus e a Meishu-Sama pela oportunidade de evoluir com os meus Antepassados, proporcionando-nos a alegria de viver e servir à Obra Divina. Quero também fazer um agradecimento especial à minha mãe que, do Mundo Espiritual, me utilizou e guiou para me fazer crescer na Fé, e ao Ministro que, ao longo deste período, me ajudou a superar esta difícil purificação.

Muito obrigada.

Comentários não disponíveis.