Experiência de Fé – Junho 2020 – Isabel Freire

Experiência de Fé – Isabel Cristina Leal Gerez Freire

“Quando temos o desejo sincero de materializar a nossa gratidão a Deus e Meishu-Sama, todos os caminhos se abrem, não há impedimentos ou obstáculos!”

O meu nome é Isabel Cristina Leal Gerez Freire e dedico no Núcleo de Johrei de Braga.

Sou membro da Igreja Messiânica desde criança, porém, afastei-me em 2011. Nessa época, sofri muito com um relacionamento conflituoso que já durava há sete anos. O desgaste foi tanto que tive de o terminar e por desânimo, acabei por me afastar também da Igreja.

Em novembro de 2012, conheci o meu atual marido, mas levei muito tempo para confiar, trazendo ao nosso relacionamento todo o sofrimento que já havia vivido, pois, o meu ex-namorado ainda me perseguia… Mesmo recebendo apoio total da família, esta situação desencadeou em mim síndrome do pânico e depressão.

Em 2015, quando eu e o meu marido decidimos casar, fomos prejudicados por um golpe da empresa de organização de casamentos, o dono tinha fugido com todo o nosso dinheiro… Esta situação, aumentou ainda mais as minhas crises de depressão e pânico, que me impediam de sair de casa e ir trabalhar, gerando instabilidade financeira.

Junto com essas situações, em menos de um ano, sofri dois assaltos à mão armada: o primeiro, estava sozinha em frente à casa dos meus pais; o segundo, estava com o meu marido, quando dois rapazes nos abordaram e não tendo conseguido levar nada, atiraram contra o meu marido, contudo, a bala milagrosamente não o atingiu e alojou-se na porta do carro.

Questionava: “Porque temos que passar por todo este sofrimento?!”

Entretanto, em 2018, recebi o convite de uma tia que mora em Braga, para vir morar em Portugal. Achámos uma boa oportunidade, pois sabíamos que é um país tranquilo. Mesmo a viver aqui, continuava com pânico, pois a parte financeira mantinha-se complicada. Já em 2019, ao contar para o meu irmão as dificuldades que estava a passar, ele orientou-me para eu voltar a dedicar e procurar a Unidade Religiosa mais próxima. Então, a partir de setembro, passei a frequentar o Núcleo de Johrei de Braga.

No primeiro dia, comuniquei ao Ministro que sofria de crises de pânico, depressão e que não conseguia iniciar as atividades profissionais na minha área devido à falta de documentação. Informei-lhe também que havia, entretanto, comprado uma máquina de costura e que iria iniciar pequenos serviços, assim como limpeza doméstica em casa de outras pessoas.

O Ministro deu-me os parabéns por ter regressado às dedicações e por ter começado a trabalhar, mesmo que não fosse na minha área. Orientou-me a comunicar no Altar todos os meus objetivos a Deus e a Meishu-Sama e iniciar a materialização da gratidão de 10% de todo o valor que recebesse de aí em adiante, por menor que fosse a remuneração. Assim, passei a participar nas atividades do Núcleo de Johrei, iniciei também o curso de Ikebana Sanguetsu e comecei a sentir-me melhor, mais tranquila, sentia-me protegida por Meishu-Sama e o pânico e o medo foram desaparecendo!

Já em março deste ano, contava receber pela primeira vez a soma aproximada de um salário mínimo, mas devido à quarentena e ao isolamento social, todos os clientes desmarcaram sem data prevista para voltar. Esta situação da pandemia deixou-me um bocado mais intranquila, contudo, sentia-me mais protegida e sem medo nem pânico como antes. Sentia claramente os efeitos na minha vida das dedicações que já estava a realizar.

Aproveitando o confinamento, comecei a limpar a minha casa com sentimento de gratidão, passei a ler mais os Ensinamentos de Deus revelados a Meishu-Sama, fazia as Ikebanas no lar, comecei a ministrar Johrei no meu marido diariamente e passámos a acompanhar os Cultos Matinais e Vesperais pela internet, através da Sede Central de Portugal.

Num dia de isolamento, tive novamente uma crise de pânico bem forte; senti um forte sentimento de medo, uma preocupação intensa com a saúde da minha família no Brasil. No dia seguinte, foi o meu marido que, do nada, começou a ficar indisposto e fraco, esteve um dia inteiro deitado e isso assustou-me muito! Estamos juntos há 8 anos e ele nunca ficou um dia doente sequer, sempre foi extremamente ativo e bem-disposto. Nesse momento, pedi ao Ministro oração e ele orientou-me também, a ministrar-lhe bastante Johrei e assim fiz por muitas horas.

No dia seguinte, o meu marido acordou bem-disposto e foi trabalhar como se nada tivesse acontecido! Senti uma enorme alegria e gratidão a Deus e Meishu-Sama, pois estava realmente muito assutada. Também aquele pânico em relação à saúde da minha família, desapareceu!

Com isso, tive um forte desejo de materializar a nossa gratidão. Tinha uma reserva de dinheiro guardada das limpezas do mês anterior e senti que tinha de materializar tudo. Ao falar com o meu marido, ele não achou certo fazer o donativo integral, levando em conta que eu não estava a trabalhar nesse momento e poderíamos precisar devido à pandemia. Entendi e respeitei o seu sentimento, pois ele não é membro e nem frequenta a Igreja, mas, mesmo assim, senti que tínhamos mesmo de materializar a nossa gratidão a Deus e Meishu-Sama. Foi então que me lembrei de, num papel, escrever o tal valor guardado e coloquei num envelope, com o sentimento de que a minha gratidão já lá estava!

Foi quando a minha mãe, que mora no Brasil, falou que estava a vender máscaras de tecido e que eu fizesse o mesmo. Comuniquei ao Ministro a minha decisão, criei o objetivo de costurar 200 máscaras e que iria destinar um determinado valor de cada máscara vendida à reforma da Sede Central de Portugal.

Desse dia em diante, anunciei a venda das máscaras e em 17 dias, já havia alcançado o objetivo e assim, dentro do envelope já estava materializado o meu sentimento de gratidão! Foi uma felicidade enorme!

Senti que este desafio foi concretizado porque tanto os meus Antepassados como os de todas as pessoas envolvidas, tornaram-se úteis e receberam Luz, pois, sem saberem, estavam a dedicar na construção do Paraíso Terrestre, através da reforma da Sede Central de Portugal!

Os problemas e as dificuldades são para o meu crescimento e com esta experiência, pude realmente comprovar que só é possível termos paz, saúde e prosperidade, se dedicarmos na construção do Paraíso Terrestre! Quando temos o desejo sincero de materializar a nossa gratidão a Deus e Meishu-Sama, todos os caminhos se abrem, não há impedimentos ou obstáculos, pois estes somos nós que os criamos.

Tenho como objetivo seguinte, ter a permissão de entronizar no nosso lar, a Imagem Consagrada de Meishu-Sama.

Agradeço a Deus e a Meishu-Sama, aos meus Antepassados, ao meu marido e família por todo amor e paciência e ao Ministro pelo zelo e apoio!

Muito obrigada!

Comentários não disponíveis.