Experiência de Fé – Julho 2019

Experiência de Fé – Ivan Paulo Pereira dos Santos Bergamo

Comunico sempre os meus problemas a Deus e Meishu-Sama, mas sem apego, esforço-me nas práticas básicas da Fé, deixando tudo nas Suas mãos e aceitando com gratidão os resultados.”

Chamo-me Ivan Paulo Pereira dos Santos Bergamo, sou membro há 6 anos e dedico no Johrei Center de Lisboa.

Gostaria de compartilhar com os senhores duas experiências relacionadas com os objetivos que tracei para ano de 2019, por ocasião do Culto do Natalício de Meishu-Sama de 2018.

Sempre cultivei um forte desejo de reencaminhar à Igreja, um irmão meu que vive no Brasil e que se encontrava afastado da fé messiânica. Era um ponto que me tocava, agravado pelo facto de sua esposa não aceitar receber Johrei e nem deixar que o meu sobrinho o recebesse. Em relação a isto, sempre evitei qualquer tipo de confronto; não lhes oferecia Johrei, porque sempre confiei que, no momento certo e se fosse a missão deles, tudo fluiria para que se tornassem utéis na Obra Divina.

Há três meses, recebi uma ligação de minha mãe, a chorar e dizia-me que o meu irmão e a sua família estavam a frequentar uma religião, a qual ela tinha muito medo e estava preocupada. Nesse momento, disse para ela não julgar e principalmente agradecer esse facto pois, para mim, era um sinal de que ele voltaria a se tornar membro ativo. Pedi também para que ela comunicasse esta situação ao seu ministro. Nesse momento, apesar de muito triste, a minha mãe riu do que eu havia dito, e disse-me que era impossível que isso viesse a acontecer.

Mantive o meu foco nas dedicações e empenhei-me em servir o máximo possível! Tive a permissão de inscrever-me na peregrinação aos Solos Sagrados do Japão e tomei a decisão de esforçar-me cada vez mais nas seguintes práticas:

– Dedicação mensal nos Cultos da Sede Central;
– Prática de gratidão mensal através do dízimo e outros donativos;
– Assistência de Johrei em hospitais;
– No trabalho, esforço-me em encarar as dificuldades com otimismo, trazendo sempre motivação e muita alegria a toda a equipa, mesmo nos momentos mais delicados.

Paralelamente a esta situação, fui confrontado com outra, agora no meu emprego. Numa reunião anual da empresa, comunicaram-me que, mesmo tendo um excelente desempenho, eu não iria ser promovido, pois para isso, precisaria de ter pelo menos dois anos de trabalho e eu estava a apenas um ano na empresa. Mesmo dececionado, não discuti a decisão, apenas agradeci a oportunidade e me comprometi comigo mesmo a manter as minhas práticas altruístas.

Passado um mês da conversa com a minha mãe, recebo a informação, via grupo da família no WhatsApp, de que o gato do meu irmão, tinha sofrido um acidente e fraturado a pata de maneira grave. Senti que essa seria a oportunidade de levar a Luz de Deus e Meishu-Sama ao lar do meu irmão. Assim, pedi à minha mãe que fosse ministrar Johrei no gato, o máximo possível, pois imaginava que ninguém iria se opor que o gato recebesse Johrei. A minha mãe apesar de num primeiro momento hesitar, passou a ministrar diariamente, mais de uma hora de Johrei no gato.

Certo dia, a minha cunhada para espanto de todos, pediu para que a minha mãe ministrasse Johrei nela! Ao terminar, a minha mãe ligou-me muito surpreendida e relatou que havia ocorrido um grande milagre. Mais uma vez orientei-a que mantivesse o espírito de gratidão, de servir e que em nenhum momento oferecesse Johrei à minha cunhada; mas esperasse sempre que ela pedisse.

A partir do dia seguinte, a minha cunhada passou a pedir Johrei diariamente. A minha mãe com muito amor, realizou essa dedicação todos os dias, até que, após 15 dias de recebimento de Johrei, a minha cunhada perguntou ao meu irmão, porque ele não reconsagrava o seu Ohikari e assim escusava da minha mãe ter que ir todos os dias a sua casa. O meu irmão aceitou prontamente e pediu que a nossa mãe agendasse uma entrevista com o ministro responsável. Dessa vez ela ligou-me eufórica e apreensiva; não acreditava naquilo que estava a acontecer!

No dia marcado, o meu irmão foi buscar a nossa mãe para irem juntos ao Johrei Center e ela novamente se surpreendeu, pois no carro não estava apenas o meu irmão, mas também a minha cunhada e o meu sobrinho. Ao fim da entrevista, o ministro comunicou que, não só o meu irmão iria reconsagrar o Ohikari, mas que a minha cunhada e o meu sobrinho iniciariam o Curso de Iniciação Messiânica para receber o Ohikari no fim de junho, o que de facto já aconteceu! Posso vos dizer que não há alegria maior na vida do que ter participado de algo tão maravilhoso!

Ao mesmo tempo no trabalho, tive a grata e incrível surpresa de ser promovido! Com muita alegria fui perguntar à minha gerente, o que tinha acontecido, pois dias atrás, era dado como impossível. Ela respondeu-me que tinha refletido muito após aquela reunião e que a minha postura a fez mudar de ideia, assim como convencer os outros chefes da empresa que eu merecia ser promovido, mesmo sem ter o tempo mínimo determinado pela empresa.

Comunico sempre os meus problemas, medos e planos a Deus e Meishu-Sama, mas sem apego, esforço-me nas práticas básicas da Fé, deixando tudo nas Suas mãos, aceitando com gratidão os resultados.

Com gratidão, realizei um donativo especial e reafirmo o meu compromisso de continuar a dedicar com afinco na Obra Divina!

Quero agradecer a toda a minha família, em especial à minha mãe, que, com o amor e esforço empreendido, como instrumento de Deus e Meishu-Sama, proporcionaram a concretização desse milagre.

Muito obrigado!

Comentários não disponíveis.