Experiência de Fé – Julho 2018

Experiência de Fé – Cátia Domingas David Sumalgy

“Comecei minha mudança praticando os Ensinamentos, ouvindo mais as pessoas e não me preocupar mais em ter razão em tudo!”

Experiência de Fé - Julho 2018

Meu nome é Cátia Domingas David Sumalgy, tenho 24 anos e dedico atualmente como responsável do Grupo de Jovens do Johrei Center de Coimbra.

Passo a relatar a minha experiência para a preparação do Culto do Paraíso Terrestre deste ano. Há uns dias, o Ministro perguntou-me se estava a preencher o meu formulário do Culto do Paraíso Terrestre, com os 100 pontos que desejamos mudar, orientado na Sede Central pelo Presidente da Igreja, Reverendo Carlos Eduardo Luciow. Respondi que havia conseguido escrever apenas 6 pontos. Porém, quando cheguei à casa e vi o meu formulário, afinal não eram 6, mas sim apenas 4 pontos. Nesse momento questionei-me se não tinha nada a mais para mudar e no mesmo instante consegui preencher 15 linhas.

O ponto que mais mexeu comigo dizia respeito à teimosia. Pedi orientação ao Ministro que indicou-me dois Ensinamentos para ler e praticar: “Ceda para conquistar” e “Subjetivismo e Objetivismo” além do livro “Encontrando um Caminho”.

No Ensinamento “Subjetivismo e Objetivismo” há um trecho que tocou-me particularmente:

“É tendência do ser humano prender-se aos seus próprios pontos de vista; isso acontece com mais frequência entre as mulheres. Trata-se de uma tendência altamente perigosa, porque aquele que sustenta inflexivelmente as próprias opiniões, considerando-as verdadeiras, julga o próximo baseando-se nelas, de modo que as coisas não acontecem como se esperava. Geralmente essas pessoas torturam a si mesmas e aos seus semelhantes. É necessário que o homem aprenda a se analisar objetivamente, isto é, crie em si uma “segunda pessoa” que o veja e critique. Tal prática lhe evitará muitos problemas.”

Na leitura do Ensinamento “Ceda para conquistar” tocou-me o seguinte ponto:

“Tentar impor as nossas opiniões é uma psicologia inábil. Ainda que estejamos certos, não devemos desnecessariamente insistir em argumentos a nosso favor. Aprendendo a ceder em determinadas circunstâncias, acabaremos vencendo, porque nos ativemos ao que é justo e verdadeiro. Algumas vezes, quando as pessoas se dedicam a algo importante, pensam que isso requer esforço, resistência e concentração. No entanto, quando opomos resistência, o nosso poder interno se restringe, ao passo que, quando assumimos uma postura descontraída, ele circula livremente.”

Comecei minha mudança praticando os Ensinamentos, ouvindo mais as pessoas e não me preocupar mais em ter razão em tudo e em ganhar as discussões. A primeira graça que recebi foi de ver o meu irmão mudar completamente, se preocupando em unificar a família, algo que era impensável para mim, pois meus pais são separados e sempre houve muitos conflitos entre eles.

A relação entre meus pais também melhorou muito. O meu irmão criou um grupo da família no WhatsApp dando-lhe o nome de “Atualizações” com o objetivo de que cada membro da família possa postar a sua situação e as suas possíveis dificuldades, para ajudarem-se reciprocamente.

Enchi-me de alegria ao ver tal situação, pois tinha lido uma experiência idêntica no livro “Encontrando um Caminho” intitulada “Quando é preciso mudar”.

Gostaria de salientar que durante a preparação para o Culto Especial intensifiquei minhas dedicações. Além de buscar mais nos Ensinamentos e do meu plantão semanal, às 2ª feiras, passei a vir à Igreja ao menos três vezes na semana, dediquei na preparação e impressão do Boletim Informativo, iniciei uma nova formação com a Professora de Ikebana e estou acompanhando uma pessoa, com o objetivo de encaminhá-la à Igreja.

Acredito que a minha mudança se refletiu claramente na mudança dos meus pais e do meu irmão que não é membro e nunca foi muito ligado à família.

Agradeci por essa graça através de um donativo de gratidão especial.

Agradeço a Deus e Meishu-Sama por mais esta graça e mudança recebidas!

Muito obrigada!

Comentários não disponíveis.