Experiência de Fé – Culto Especial pelo Natalício de Meishu-Sama – 2015

Experiência de Fé – Maria da Graça Rodrigues da Cunha

“Aprendi e adquiri outra compreensão para a missão da Flor de Meishu-Sama como instrumento de Salvação.”

Chamo-me Maria da Graça Rodrigues da Cunha, sou messiânica desde 2001 e dedico no Johrei Center do Porto. Dedico como auxiliar de família, realizo semanalmente núcleo de Johrei em meu lar e também dedico na coluna do Belo através da Ikebana.

Apesar de ser aluna de Ikebana e dedicar com assiduidade, nunca pensei em dar formação ou realizar vivências de Ikebana porque além de não gostar, sempre acho que não estou preparada.

No mês de Setembro, como preparação para o Culto Especial pela Salvação dos Antepassados, os dedicantes da Ikebana foram convidados a levarem a Luz de Deus e Meishu-Sama para os lares através de uma Vivência de Ikebana com o tema:

“A Importância da Flor no lar”.

O objetivo principal dessa atividade era de envolver os membros, seus familiares e vizinhos na prática da Coluna do Belo e juntamente com os antepassados, nos ligarmos a Meishu-Sama. Participei da formação com a professora e tomei a decisão de enfrentar minhas inseguranças e de fazê-lo. Assim, realizei 4 vivências, onde foram envolvidas 26 pessoas no total, desde familiares, amigos, vizinhos, membros e frequentadores.

A primeira que realizei foi em Ponte de Lima, no lar de minha mãe que não é membro e nem sempre aceita receber Johrei, juntamente com uma amiga dela que apareceu inesperadamente. Utilizando flores de seu jardim, fizemos a vivificação agradecendo por todas as pessoas que foram importantes na nossa vida, os quais temos gratidão e saudade e também àquelas as quais deixamos algo por fazer, por dizer ou que houve algum mal entendido. Que a flor de Meishu-Sama pudesse perdoar e purificar todos esses sentimentos. No final da atividade havia um ambiente muito leve e era visível a alegria no rosto de minha mãe e sua amiga.

Dias depois, a minha mãe conta-me que tinha acontecido algo inédito com o meu irmão. Ele, que sofre de esquizofrenia e que, entre outras coisas, não gosta que ninguém entre no seu quarto, nem mesmo para fazer limpeza e, como ele também não o faz, por vezes torna-se uma situação desagradável. Mas nessa semana por sua iniciativa, quis limpar o quarto inclusive tirar o colchão da cama e colocá-lo a apanhar sol e chamou a minha Mãe para ajudá-lo. Fiquei tão feliz com a felicidade dela e logo pensei que fosse resultado da atuação da Flor no Lar.

As outras 3 vivências, foram no meu lar, no lar de um casal de membros que acompanho e a outra na casa de uma colega de trabalho a qual já tinha transmitido Johrei.

Na vivência que fiz no meu lar, envolvi vizinhos, amigos, membros e frequentadores que participam nas reuniões de Johrei.

Eu estava a passar um momento em que não tinha vontade de orar e nem de cuidar do Altar em minha casa. Depois da vivência ganhei outra motivação, força e compreensão. Voltei a orar diariamente e acabei também por conseguir arrumar e limpar a minha casa com o desejo de construir o Paraíso no meu lar e tendo aliás conseguido organizar algumas coisas que fazia algum tempo que o pretendia e não estava a conseguir.

Em relação à vivência feita no lar do casal de membros que acompanho, como moram a cerca de 90 Km do Porto, e onde há poucos membros, o Ministro acompanhou nesta visita.

O resultado foi terem conseguido escolher e definir o local adequado para entronizar a Imagem Consagrada de Meishu-Sama e a mãe do membro, de 85 anos, que é membro afastada, abriu o coração, aceitou receber Johrei e também participou da vivência. Desde esse dia, recebe Johrei diariamente, algo que não estava acontecendo.

Por fim, na vivência realizada no lar de minha colega de trabalho, participaram mais 3 colegas de trabalho e duas delas envolveram também as suas filhas adolescentes.

Depois desta vivência, uma delas, alias a que recebeu mais Johrei e teve mais experiências, encaminhou um senhor que é paciente da clinica do seu marido. Este senhor apesar de muitos tratamentos terapêuticos e muita medicação não estava a ter melhoras. Ela falou comigo e pediu-me para ajudá-lo. Assim apresentou-me e convidei-o a receber Johrei. Já começou a frequentar o núcleo em minha casa.

Depois desta vivência, as minhas colegas ficaram muito felizes e já falamos em dar continuidade às atividades convidando outras pessoas.

Com os resultados desta dedicação aprendi e adquiri outra compreensão para a missão da Flor de Meishu-Sama como instrumento de Salvação.

Além do resultado que surgiu em cada lar e da felicidade que pude ver comprovada em todos que participaram destas vivências, confirmei também uma orientação que ouvi numa peregrinação que fiz ao Solo Sagrado do Japão de uma membro que participou do aprimoramento de Ikebana que era: “No trabalho de expansão da Obra Divina, a Flor vai na frente, tal como o nariz está para o rosto.”

Assim, ao participar do Culto aos Antepassados na Sede Central, não dá para descrever a alegria imensa que sentia. Foi sem dúvida o Culto que mais me empenhei na preparação principalmente com objetivo de meus antepassados passarem a ter outra compreensão e se tornassem úteis na Obra Divina no mundo espiritual.

Agradeci profundamente a Deus e Meishu-Sama, junto com meus antepassados e de todas as pessoas que participaram nas vivências, bem como à Professora que me ajudou e me deu todo o apoio, bem como ao Ministro. Humildemente desejo ter a permissão de continuar a servir levando a felicidade às pessoas através de mais vivências nos lares.

Muito obrigada!