Ensinamentos do Mês – Agosto 2021

ENSINAMENTOS DE DEUS REVELADOS A MEISHU-SAMA

LIBERTE-SE DO EGO

Na vida quotidiana do ser humano, nada é mais temível do que o ego. Isso pode ser bem compreendido se atentarmos para o facto de que, no Mundo Espiritual, a eliminação do ego é considerada o aprimoramento fundamental.

Quando era membro da religião Oomoto, encontrei os seguintes trechos no Ofudesaki: “Não há coisa mais temível do que o ego, pois até mesmo as divindades fracassaram por sua causa.” E, também: “Devem ter ego e não o devem ter; é bom que o tenham, mas não o manifestem.” Fiquei profundamente impressionado com estas explicações tão diretas sobre a essência do ego. Evidentemente, refleti muito sobre o assunto.

No Ofudesaki, havia ainda as seguintes palavras: “O mais importante é a docilidade.” De facto, são palavras extraordinárias. Digo-o porque, até hoje, quem aceita o que eu digo sem refutar, progride sem nenhum problema. Entretanto, há quem sinta dificuldades em fazê-lo devido ao seu forte ego. É realmente penoso ver os constantes fracassos decorrentes de tal comportamento.

Como foi exposto, o princípio fundamental da fé consiste em não demonstrar o ego, não mentir e ser dócil.

18 de fevereiro de 1950

O EGO E O APEGO

O ser humano possui, na sua personalidade, dois traços irmãos: o ego e o apego. Ao analisarmos questões confusas e de difícil solução, descobriremos que quase todas elas se devem a eles.

Temos casos, por exemplo, de políticos que, apegados às suas posições, deixam passar a melhor ocasião de se retirarem da vida pública e acabam por cair no esquecimento geral. Isso também se deve ao ego e ao apego.

Há empresários que, devido ao apego ao dinheiro e ao lucro excessivo, importunam os seus clientes e perdem boas negociações. Momentaneamente, parecem obter vantagem, mas, geralmente, a longo prazo, sofrem prejuízos.

Também no campo dos relacionamentos, quem muito se apega, acaba por ser rejeitado. Há, ainda, muitos outros exemplos de problemas causados pelo excesso de ego e apego.

Relembrando os factos do passado, todos concordarão que, em razão do ego, causamos sofrimentos aos outros e a nós mesmos, além de gerarmos conflitos.

Nesse sentido, o principal objetivo da fé é eliminar o ego e o apego. Tão logo me consciencializei disso, empenhei-me em livrar-me deles. Como consequência, as minhas inquietações amenizaram-se e tudo corre a contento. Certo ensinamento diz: “Não sofra pelo que ainda não ocorreu e nem pelo que já passou.” São sábias palavras.

A maior finalidade do aperfeiçoamento no Mundo Espiritual é livrar-se do apego. A posição espiritual eleva-se, à medida que o apego se reduz. A respeito disso, podemos dizer o seguinte: no Mundo Espiritual, é raro um casal permanecer junto. A razão disso está na diferença da posição espiritual dos cônjuges. O convívio só é permitido a casais que se tornaram paradisíacos. Entretanto, aqueles que alcançaram certo grau de aperfeiçoamento, têm permissão de se encontrar, mas apenas por um tempo. Essa licença é-lhes concedida pelas divindades responsáveis pela camada espiritual em que se encontram. Mesmo que tenham saudade, esses casais não podem permitir-se a qualquer tipo de intimidade. Caso haja pensamentos lascivos, os seus corpos ficam rijos e perdem o movimento. Isso demonstra o quanto o apego é condenável.

Dessa forma, a posição espiritual eleva-se conforme o apego desaparece através do aprimoramento no Mundo Espiritual. Sendo assim, o encontro do casal será facilitado à medida que os cônjuges se elevarem. Creio que o leitor pode compreender como o Mundo Espiritual é diferente do Mundo Material.

Por ocasião da divulgação da fé, a postura persuasiva e insistente confunde-se com fervor, mas os resultados não são favoráveis. Ou seja, na ocasião de se recomendar a fé a alguém, é melhor falar pouco e prosseguir a conversa apenas se a pessoa demonstrar interesse. Caso contrário, o melhor é conter-se e aguardar um momento oportuno.

5 de setembro de 1948

Comentários não disponíveis.