Ensinamento do Mês – Outubro 2021

ENSINAMENTO DE DEUS REVELADO A MEISHU-SAMA

O SEGREDO DA FELICIDADE

Quando falo em “segredo da felicidade”, as pessoas podem pensar que seja necessário recorrer a algum tipo de magia para o descobrir, mas não é nada disso. É extremamente simples, e mesmo assim, as pessoas não conseguem percebê-lo.

Neste momento, ao observarmos a sociedade, quantas pessoas verdadeiramente felizes podemos encontrar? Talvez nenhuma. Isso mostra que o mundo está, efetivamente, cheio de sofrimento. O facto é que ninguém está livre de fracassos, desemprego, doenças, pobreza, conflito, descrença e pessimismo. A realidade é que as pessoas estão a sofrer como se estivessem numa prisão.

Qualquer um que faça uma reflexão mais aprofundada, irá deparar-se com a seguinte dúvida: “Se foi Deus, Criador do Universo, que criou o ser humano, porque o faz padecer tanto? Porque será que não faz deste mundo um local com mais felicidade do que infelicidade?” Como essas perguntas permanecem sem resposta, vou tecer considerações a respeito.

O Bem e o Mal existem desde a era primitiva, quando surgiu a espécie humana. Esta é uma Verdade. Assim, o Bem e o Mal – de natureza antagónica – vivem em atrito e lutas constantes, sem jamais um predominar definitivamente sobre o outro. Pensando bem, foi através do atrito entre ambos que a civilização atingiu o progresso atual, o que também é uma Verdade. (…)

O essencial é descobrir o método para alcançar a felicidade e praticá-lo. Como sempre digo, esse método consiste, basicamente, em fazermos os outros felizes. Existe uma excelente prática que tenho vindo a adotar há muitos anos, com resultados maravilhosos. Foi com o desejo de a ensinar que redigi este texto.

Em suma, essa prática consiste em realizar o maior número possível de boas ações. Sempre que possível, procurar praticar o bem. Por exemplo, propiciar alegria ao próximo, pensando no bem-estar da sociedade. (…)

Além disso, na vida quotidiana, devemos sempre procurar suscitar esperança no coração das pessoas, independentemente de quem quer que seja, tendo por base o amor e a gentileza, agindo com o máximo Makoto*.

Aos políticos, cabe deixar de lado os seus interesses pessoais e, colocando a felicidade dos cidadãos acima de tudo, tornarem-se, em todos os aspetos, pessoas exemplares. O povo também se deve esforçar ao máximo para praticar boas ações, utilizando a inteligência. Assim, aqueles que praticarem muitas boas ações, certamente, serão felizes.

Já imaginaram que sociedade e que nação surgiriam, se todas as pessoas se unissem para praticar o bem? Evidentemente, essa nação seria um modelo para o mundo e alvo de respeito universal. Consequentemente, sem sombra de dúvida, desapareceriam todos os problemas, surgiria o Paraíso Terrestre proclamado pela nossa Igreja, isento de doença, pobreza e conflito, e a felicidade das pessoas seria incalculável. Seria como “bater com o martelo no chão”; a pancada não poderia falhar. (…)

Para não me estender mais, gostaria de encerrar por aqui, mas se analisarem bem o que expliquei, poderão perceber que não é assim tão difícil tornar-se feliz.

1 de outubro de 1949
Alicerce do Paraíso vol. 3

Comentários não disponíveis.