Ensinamento do Mês – Natalício 2019

ENSINAMENTO DE MEISHU-SAMA

ESTADO DE UNIÃO DO HOMEM COM DEUS

A expressão “estado de união do Homem com Deus” existe há muito tempo, mas creio que na prática, jamais existiu alguém nesse estado. É verdade que Sakyamuni, Jesus Cristo e Maomé, três grandes santos, pareciam estar em união com Deus, mas, na verdade, eram mensageiros da Sua vontade. Em termos mais claros, foram intermediários Dele. Por isso, a humanidade, não sabia qual a diferença entre o estado de união do Homem com Deus e ser Seu intermediário. Em suma, o mensageiro de Deus atua através de possessão divina ou pelas Suas determinações e, por esse motivo, reza sempre a Deus ou a Buda para rogar pela Sua proteção.

Eu, porém, não faço nada disso. Como os fiéis sabem, não oro a Deus nem rogo pela Sua instrução. Basta-me agir de acordo com a minha própria vontade, o que me é muito fácil. Sendo assim, trata-se de algo inédito que, devido ao facto de possivelmente ser visto com estranheza, tentarei escrever aqui apenas os pontos que não acarretam nenhum problema. Como sempre digo, há uma Esfera de Luz no meu ventre e o facto desta, ser a alma de Deus, faz com que Ele próprio movimente livremente o meu ser e as minhas palavras e ações, ou seja, não há distinção entre Deus e o Homem. Este é o verdadeiro estado de união do Homem com Deus.

Por conseguinte, o espírito de Deus que habita o meu interior é o mais elevado, pois não existe nenhuma divindade superior a Ele. Aqui está o motivo de não fazer sentido eu reverenciar outros deuses. Os milagres manifestados diariamente pelos fiéis são a melhor prova disso. Estes constantes milagres evidenciados pelos membros chegam a ser superiores aos de Jesus Cristo. Por esse motivo, caso seja feita alguma comparação, os meus discípulos não são inferiores a ele. Só este facto já é suficiente para imaginar o nível da minha divindade.

Há algo que preciso acrescentar: é o facto de que as pessoas santas que existiram até hoje terem profetizado a concretização de um mundo paradisíaco no futuro, mas não terem admitido que elas o construiriam. Isto deve-se ao nível inferior da sua divindade e à insuficiência da sua força. Os factos expostos são o motivo de eu afirmar que construirei o Paraíso Terrestre, um mundo sem doença, pobreza e conflito. Por tais razões, realizarei daqui para a frente um surpreendente plano Divino, nunca visto até agora. Gostaria que o observassem com muita atenção, pois surgirão, um após o outro, factos que não podem ser considerados realizações de um ser humano.

7 de maio de 1952

Comentários não disponíveis.