Ensinamento do Mês – Maio 2021

ENSINAMENTO DE DEUS REVELADO A MEISHU-SAMA

O JOHREI E A FELICIDADE

Parece que o objetivo do Johrei da nossa Igreja é a cura de doenças, mas, para dizer a verdade, não é só isso. Sendo assim, escreverei sobre o seu grande significado. Em suma, é um método para criar a felicidade, isto porque, a doença por si só, é obviamente uma purificação e não preciso repetir que a sua origem é o processo de eliminação das nuvens no espírito. Assim sendo, trata-se de um procedimento para erradicar todos os sofrimentos do ser humano.

Consequentemente, tanto a miséria como os conflitos também são formas de purificação. Eis ao que sempre me refiro como “doença, pobreza e conflito”. No entanto, dentre estes processos purificadores, a doença é o principal, porque está relacionada com a vida. Caso seja solucionada, naturalmente, serão resolvidos os problemas da pobreza e do conflito. Evidentemente, por ser este o fundamento da felicidade, está mais do que claro que a causa da infelicidade se encontra nas nuvens do espírito. O Johrei é o método mais simples e infalível para erradicá-las. Por esse motivo, conforme disse no início, não se limita apenas às doenças. Escreverei mais detalhadamente sobre isso.

Conforme já havia escrito noutras oportunidades, devido ao facto de o corpo material do ser humano estar no Mundo Material e o espírito residir no Mundo Espiritual, a situação deste último influencia o espírito e isto reflete-se no corpo físico. Sendo assim, a base do destino dos seres humanos está no Mundo Espiritual. Além do mais, tanto o Mundo Material como o Mundo Espiritual, são igualmente formados por inúmeras camadas, que em grande escala, são divididas em três níveis: superior, intermediário e inferior. Cada nível é constituído por sessenta camadas que, por sua vez, são separadas em três subníveis de vinte e, acima de todas elas, existe uma que é ocupada pelo Supremo Deus, totalizando assim cento e oitenta e uma camadas. Assim, as demais entidades, por mais elevadas que sejam, estão em alguma das outras cento e oitenta camadas. Esta é uma explicação no sentido vertical. Horizontalmente falando, a extensão de cada degrau diverge desde o Inferno até ao Paraíso. Suponhamos que o nosso espírito esteja no nível inferior, numa das vinte camadas do seu subnível mais baixo. Isto corresponde ao fundo do Inferno e, por esse motivo, trata-se de um mundo de total aflição. Como isso se reflete no corpo físico, eis a razão de nos encontrarmos numa situação de extremos sofrimentos. Essa situação melhora razoavelmente no subnível de vinte camadas acima deste, torna-se mais suave no subnível seguinte e, dessa maneira, é evidente que há uma variação entre os sofrimentos e as alegrias em cada nível. Sendo assim, atinge-se o nível intermediário ao se ultrapassar as sessenta camadas do nível inferior. Por outras palavras, é o tchūyukai e o yatchimata, que correspondem ao Mundo Material. Ao adentrar no nível de sessenta camadas acima dele, ou seja, o Paraíso, tornamo-nos num ente celestial que atinge o estado de prazer e satisfação.

Desta forma, o destino de uma pessoa é decretado em concordância com a camada em que ela se encontra e, por esse motivo, devemos esforçar-nos para nos elevarmos cada vez mais. Conforme o espírito se eleva, os sofrimentos abomináveis desaparecem e a felicidade aumenta. Ou seja, a purificação através dos sofrimentos não será mais necessária. Sendo assim, é inútil apelar para a inteligência ou envidar esforços, enquanto o espírito estiver nas camadas inferiores. Isto é uma inviolável Lei regida por Deus, que corresponde à Lei de Precedência do Espírito sobre a Matéria. Para se obter a felicidade, portanto, é imprescindível purificar o espírito, a fim de o tornar mais leve e empenhar-nos em alcançar as camadas superiores. Não existe outro meio a não ser este e nele reside o grandioso significado do Johrei.

Jornal Tchidjō Tengoku nº 34,
25 de março de 1952

Comentários não disponíveis.