Ensinamento do Mês – Dezembro 2019

ENSINAMENTO DE MEISHU-SAMA

RENOVE-SE CONSTANTEMENTE

O ser humano deve procurar desenvolver-se e aperfeiçoar-se constantemente, sobretudo aqueles que possuem fé. Todavia, na sociedade, quem menciona assuntos religiosos ou relacionados com a fé, é julgado como antiquado e conservador. Não podemos negar que essa é uma tendência dos fiéis das religiões existentes até ao momento. Com os nossos membros, verifica-se justamente o contrário, ou melhor, estes têm o dever de almejar ser o oposto.

Observemos a Grande Natureza. Esta renova-se e desenvolve-se ininterruptamente: ano após ano, a população humana aumenta e as terras vão sendo exploradas. Os meios de transporte, as construções, as máquinas… nada permanece estagnado. As ervas e as árvores crescem em direção ao céu e nenhuma delas se direciona para baixo. Assim sendo, uma vez que tudo na Natureza está em constante desenvolvimento e aperfeiçoamento, é com ela que o ser humano deve aprender. Esta é a Verdade.

Neste sentido, esforço-me ao máximo para não negligenciar o meu desenvolvimento e aperfeiçoamento: este mês, mais do que no mês anterior; este ano, mais do que no ano passado.

Todavia, progredir somente na parte material, isto é, nos negócios, na profissão e na posição social, assemelha-se a algo sem base, que flutua como uma planta sem raiz. Portanto, torna-se indispensável a busca pelo desenvolvimento espiritual, ou seja, o enobrecimento do caráter. Tendo este princípio em mente, o ser humano deve procurar aperfeiçoar-se a si mesmo, um passo de cada vez, sem pressa. É importante que não se impaciente. Mesmo que esse aperfeiçoamento ocorra de forma gradual, com o tempo, certamente, este tornar-se-á uma pessoa admirável. Na verdade, só pelo facto de procurar praticar, significa que já o é. Agindo desta forma, sem dúvida, irá conquistar a confiança dos outros, tudo decorrerá satisfatoriamente e tornar-se-á feliz.

Falar deste modo para os jovens da atualidade, pode parecer uma moral antiquada e já ultrapassada, mas pelo contrário, quem conseguir colocá-la em prática é, de facto, um ser humano em constante renovação e desenvolvimento. Quando observo as pessoas, baseando-me nesse critério, sinto que muitas são retrógradas. Os seus pensamentos e assuntos são sempre os mesmos e permanecem sem apresentar qualquer mudança ou progresso. Encontrar-me com pessoas assim não me desperta nenhum interesse, pois limitam-se a assuntos triviais, não falam sobre religião, política, filosofia e muito menos de arte.

No mundo, observamos que a maioria das pessoas é assim, no entanto, a nossa intenção não é condená-las. Dentre os nossos fiéis, parece-me que estes são em pequeno número, pois sabem que não aprecio tal postura.

Como é do conhecimento de todos, neste momento de transição do mundo, a nossa religião, visando a salvação da humanidade, está a empenhar-se em despertá-la para a sua cultura equivocada e também em construir um mundo novo e ideal. Por conseguinte, é necessário que todos procurem tornar-se pessoas que se renovam e desenvolvam constantemente. Eis o sentido do que sempre digo: sejam pessoas do século XXI.

11 de outubro de 1950

Comentários não disponíveis.