Ensinamento do Mês – Abril 2018

ENSINAMENTO DE MEISHU-SAMA

SABOR DA FÉ

Cada coisa tem o seu sabor. A matéria, o homem, a vida cotidiana com as suas múltiplas facetas, tudo, enfim, tem um sabor peculiar. Se excluirmos da vida o sabor, ela perderá a sua atração e o homem não terá mais vontade de viver.

No campo religioso também existem religiões que têm sabor e as que não o têm. Pode parecer estranho, mas há religiões que despertam verdadeiro pavor. Nelas os adeptos vivem sob o constante temor das divindades, aprisionados pelos dogmas, não gozam da menor liberdade. A esse tipo de Fé, eu denomino “Fé Infernal”.

O objetivo da Fé é alegrar a vida, dar-lhe tranquilidade e permitir que se desfrute do sabor de viver. Então as coisas da natureza transfiguram-se: as flores, o vento, a lua, o cântico dos pássaros, a beleza das águas e das montanhas passam a ser vistos como dádivas de Deus para alegria das criaturas. Passamos a agradecer os alimentos, o vestuário e a casa em que vivemos, considerando-os como bênçãos, e a simpatizar com todos os seres, mesmo os irracionais e os inanimados. Sentimos que até o pequenino verme da terra se acha próximo de nós… É o estado de êxtase.

A Religião deve levar o homem à despreocupação, que é o estado ideal. Se ele enfrenta um problema, que aprenda a deixá-lo nas mãos de Deus, tão logo sejam aplicados os recursos humanos para a sua solução. Eu procedo assim: aquilo que me parece difícil e incompreensível, remeto aos cuidados do Absoluto – e dou tempo ao tempo. Numerosas experiências minhas demonstraram que tal prática dá resultados além dos esperados. Mais ainda: eles ultrapassam todos os desejos formulados. Por isso, quando surge algo desagradável, confiando em Deus, logo admito que é prenúncio de bons acontecimentos. Acho interessante quando compreendo, depois, que o mal aparente determinou a vinda do bem. Então as preocupações tornam-se ridículas, sinto-me grato e percebo que minha vida é um contínuo milagre…

Eis o que chamo de maravilhoso Sabor da Fé.

25 de janeiro de 1949

Comentários não disponíveis.