Culto Mensal de Agradecimento – Sede Central – Outubro 2016

PALESTRA DO PRESIDENTE DA IGREJA MESSIÂNICA MUNDIAL DE PORTUGAL

MIN. CARLOS EDUARDO LUCIOW

OUTUBRO 2016

Bom dia a todos!

Os senhores estão a passar bem?
(Graças a Deus e ao Messias Meishu-Sama!)

Graças a Deus e ao Messias Meishu-Sama!

Como sempre, quero iniciar as minhas palavras agradecendo, de todo o coração, a vossa sincera dedicação que nos permite expandir a Obra de Salvação de Deus e Meishu-Sama aqui em Portugal. Muito obrigado! (Palmas)

Gostaria de saber quem está a vir hoje pela primeira vez, pode levantar a mão? Sejam muito bem-vindas! É uma honra estar a recebê-las num dia tão importante, no nosso Culto Mensal e espero que esta seja a primeira de muitas outras vezes! (Palmas)

Estamos também a receber membros de outras localidades: Algarve, Margem Sul, Oeiras, Cascais, Lisboa, Amadora, Sintra, Ribatejo, Coimbra, Aveiro, Amarante, Lixa e Vila Real. E logicamente Porto e Gaia. (Palmas) E também do estrangeiro, membros do Brasil, São Tomé e Príncipe, Angola e de Espanha. Sejam muito bem-vindos! (Palmas)

Entramos no Outono e já se sente uma mudança no clima, não é verdade? (Sim)

Existe um poema de Meishu-Sama que diz:

“Quem ama as flores da Primavera e o bordo do Outono, corresponde às dádivas de Deus.”

Cada estação tem a sua beleza, e são todas manifestações do amor de Deus.

Por falar de flores, neste mês iniciar-se-ão novos cursos atualizados de Ikebana Sanguetsu em todo o país! Convido todos os interessados a inscreverem-se, mesmo aqueles que já o fizeram no passado. Estes cursos atuais são completamente atualizados, vale a pena refazê-los, porque o Belo, é um instrumento muito válido para o cumprimento da nossa missão.

Muitas vezes, através da Flor de Meishu-Sama podemos entrar na sociedade, onde através da religião, do Johrei, encontramos barreiras, mas com a Flor podemos levar a Luz e o Amor de Meishu-Sama a muitas pessoas: escolas, repartições públicas, ambiente de trabalho, etc. Por favor, procurem os vossos Ministros e as Professoras de Ikebana de cada Unidade Religiosa.

Ontem realizámos aqui na Sede Central, um maravilhoso Seminário Nacional para Missionários, como preparação para o Culto Especial pela Salvação dos Antepassados. Estiveram presentes mais de 70 missionários de todo o país e também do estrangeiro. Durante o dia inteiro, receberam aula, aprimoramentos e também realizamos atividade externa na Praça da Batalha. Fizemos Limpeza Espiritual, distribuição de mais de 700 Flores de Luz, com panfleto informativo da Igreja e foram ministrados mais de 150 Johrei de primeira vez! (Palmas)

Alguém que participou ontem e que está aqui presente, pode levantar a mão? Ah! Muita gente… Valeu a pena? (Sim! Muito bom!) Muito bom mesmo, muito obrigado! E por favor, retornando aos vossos Johrei Centers, aos Núcleos de Johrei, às vossas atividades, compartilhem com o maior número de pessoas as maravilhosas experiências vividas!

Aconteceu uma coisa muito interessante, porque como o objetivo era a preparação para o Culto Especial de Salvação dos Antepassados, muitos participantes relataram que ao ministrarem Johrei pela primeira vez nessas pessoas que encontraram pela rua, muitas delas choraram, emocionaram-se ao receber Johrei. Não é verdade? (Sim) Muitos relatos tinham esse ponto em comum e a pessoa que estava a ministrar Johrei também se emocionava! E nós, que depois ouvimos aqui, também nos emocionámos! (Risos)

Fizeram-me ontem chorar várias vezes de emoção e de gratidão! E esse choro é a alegria dos Antepassados. Não é um choro ruim, não é um choro pesado. É um choro de alegria, de gratidão deles, por verem os descendentes trilhando o caminho da salvação!

Muitos parabéns e continuem, onde quer que estejam, com esse mesmo espírito vivido ontem, que não pode esfriar ou esmorecer.

Gostaria também de aproveitar a oportunidade, para agradecer a todos que dedicaram na preparação e realização deste seminário! Muito obrigado! (Palmas)

Já entrámos no último trimestre do ano. Assustador a velocidade com que o tempo passa! Ou seja, 3/4 do ano, 75 %, já passou!!! Se nós fizéssemos hoje um balanço do nosso ano, um balanço da nossa prática de Fé Messiânica, será que poderíamos sentir-nos satisfeitos connosco? Se o ano acabasse hoje, seria um ano positivo para a nossa Prática da Fé? Quantas pessoas, nós conseguimos salvar este ano? Quantas pessoas estão gratas a Deus pela nossa existência, porque graças ao Johrei que nós ministrámos, tornaram-se mais felizes? Quantas pessoas estão gratas a Deus, porque nós as encaminhamos para a Igreja, receberam Luz, Johrei, tornaram-se membros e encontraram o caminho da Salvação? Quantas? Qual é o nosso saldo?

Subjetivamente falando, nos sentimos todos “maravilhosos”, mas as contas não são feitas subjetivamente e sim objetivamente, concretamente. Então, cada um sabe o seu saldo e ninguém tem que julgar o saldo dos outros: “E olha, fulano está mal.” Não! Como é que eu estou? E nem pensar: “Puxa! O meu marido tinha que estar no Culto hoje para ele ouvir e ver o saldo dele!” (Risos) Não é o marido ou a mulher, somos nós! Cada um tem que analisar o seu próprio saldo.

Como o nosso saldo poderá não estar tão satisfatório quanto desejaríamos, não adianta chorar o “leite derramado” dos 75% que já passou. Vamos nos programar bem os 25% que temos pela frente, de forma positiva e construtiva! Porque se ficarmos só a lamentar todas as oportunidades que perdemos nos primeiros 3/4 do ano, vamos só passar lamuriando o último 1/4 e não vamos fazer nada!

É uma fase muito importante, essa que vai de agora até 31 de dezembro, porque temos dois acontecimentos fundamentais no calendário Messiânico. O primeiro é o Culto Especial pela Salvação dos Antepassados, no dia 1 de novembro, e o segundo é o Culto do Natalício de Meishu-Sama, no dia 23 de dezembro.

O Culto Especial pela Salvação dos Antepassados será realizado, aqui na Sede Central em dois horários: às 11 horas, dando preferência às pessoas que virão com as caravanas de todo o país. E os de Porto e Gaia, que poderem ter a compreensão, por favor, são convidados a vir às 16 horas. Mas, quem não tiver condição e só poder de manhã, não tem problema, o importante é vir e participar.

Essa preparação para o Culto Especial pela Salvação dos Antepassados, deve realizar-se dentro de nós, nos nossos corações, nos nossos sentimentos! Porquê? Porque como ensina Kyoshu-Sama: “Os nossos Antepassados estão vivos dentro de nós.” Mesmo que se realize uma Cerimónia Religiosa, esse Culto que vai se realizar fora, será uma projeção do nível da preparação que cada um fizer dentro de si mesmo. Vão estar muitas pessoas reunidas, mas cada um, dentro de si, irá realizar um Culto num nível diferente, consoante a preparação que fez. Mesmo que seja uma cerimônia coletiva, a preparação é individual. Cada um tem a sua própria responsabilidade para com os seus próprios Antepassados. Por isso a rigorosidade é muito grande, o que exige de todos nós o mais alto nível de responsabilidade com essa preparação.

A nossa segunda Líder Espiritual, no Ensinamento de hoje, orientou sobre essa importância. Ela nos orienta assim:

“O Antepassado só poderá ser salvo do sofrimento através de um descendente consanguíneo. Por isso, enquanto estivermos vivendo nesse mundo, precisamos nos filiar a alguma religião de alto nível e dedicar, com a bênção de Deus, em prol do mundo e das pessoas. Assim, acumulando virtudes, receberemos nossa elevação. Ao mesmo tempo, nossos familiares consanguíneos também se elevarão.”

Ela está nos ensinanando que existe o sufrágio, existe o Culto, existe o formulário para colocar os nomes dos Antepassados no Altar, mas o que o Antepassado mais precisa, é da nossa prática de virtude! Quando nós praticamos a virtude, eles também a praticam junto connosco e quando nós estamos apáticos na prática da Fé, eles também, no Mundo Espiritual, estão apáticos.

Ouvimos ainda há pouco a bela Experiência de Fé da D. Ana Teresa, em que o filho, sadio, sem problemas, de uma hora para a outra, voltando do trabalho, estacionava o carro na garagem de sua casa e adormecia pela noite dentro, nem entrava em casa; estranho não é? (Sim) E assim foi, até que chamou a atenção, porque os sofrimentos dos filhos, logo desperta os pais, não é? (Sim) A D. Ana Teresa refletiu que, apesar de a Ministra estar sempre a orientar sobre a importância do Culto, do sufrágio dos Antepassados, ela não estava a dar importância e a fazer os Cultos como devia. Conforme ela fez o Culto, o filho recuperou-se dessa situação. Então, quem estava afinal a dormir? O filho? Não! Era ela! Ela estava a dormir para a Culto dos Antepassados! Então, os Antepassados manifestam-se no comportamento dos filhos, que pode ser uma rebeldia, um vício, o álcool, jogo, esbanjar dinheiro, podem ser tantos problemas… Manifesta-se no filho um problema qualquer que vai “sacudir” os pais, mas qual é o objetivo do Antepassado? Fazer os filhos sofrer? Não! Desejam despertar os pais para a existência deles no Mundo Espiritual e para a necessidade de eles os cultuarem, com amor e gratidão.

Mas aqui, eu gostaria de alertar para uma coisa muito importante: O problema de um descendente poderá ser aviso de um Antepassado, mas jamais devemos cultuar um Antepassado para resolver problemas dos descendentes. Porque se passarmos a cultuar os Antepassados para resolver os problemas dos descendentes, não será um Culto mas um negócio, uma chantagem e inclusive uma ofensa: “Olha, vou-te cultuar, mas tu deixa em paz o meu marido, para ele parar de beber!” (Risos) Imagina a situação do coitado do Antepassado ouvir um disparate desses, não é? Mas se, com gratidão, entender que aquele facto é uma mensagem revelando o seu sofrimento, porque está esquecido e abandonado no Mundo Espiritual, então, a recebo com amor e gratidão e vou fazer os Cultos, a dedicação, a prática de virtude em sua intenção!

Você vai num hospital dar uma assistência religiosa a uma pessoa que está a sofrer e a pessoa agradece a sua dedicação, então essa tua boa ação, você pode oferecer ao Antepassado: “Muito obrigada, a dedicação de hoje, ofereço pela elevação dos meus Antepassados!” Quando fazemos uma gratidão, uma dedicação, qualquer acto de bem, pode e deve ser oferecido aos Antepassados, porque essas virtudes geram Luz e a Luz chega a eles em forma de Salvação!

Como a própria Nidai-Sama nos ensina:

“Quando realizamos todos os trâmites e sufragamos os Antepassados como entes divinos, é como se uma escada lançada do tão almejado Paraíso, fosse lançada a eles, abrindo o caminho para a sua ascensão. Por isso, é óbvio que o Antepassado fica contente.”

As nossas práticas de Fé são uma escada que desce, até onde eles estiverem e eles podem subir para o Paraíso. Esse é o tamanho da nossa responsabilidade pela salvação deles.

Gostaria também de falar de um outro tipo de Antepassados, porque quando se pensa em Antepassados, pensa-se só nos que já partiram para o Mundo Espiritual, mas existem também os Antepassados que ainda estão encarnados no Mundo Material, ou seja, os nossos familiares. Algumas pessoas fazem sempre Culto para os Antepassados mas não tem afeto, amor, respeito no convívio com os Antepassados encarnados, que são os familiares.

Então imaginem: Você reza pelo seu sogro, mas depois trata mal o marido ou a mulher, então o seu sogro vai dizer: “Então você reza para mim e vai tratar mal a minha filha, o que é isso? (Risos) Você está perturbado, quer rezar por mim tudo bem, mas primeiro trate bem minha filha, trate bem meu filho, trate bem meu neto!”. Isso é o que o Antepassado mais deseja! É o amor, a compreensão, o afeto, o respeito entre os familiares, a começar pelo cônjuge, pela fidelidade conjugal, isso é o que mais importa, depois o amor pelos filhos, pelos irmãos, etc… Por mais que você reze na frente do Altar, o nosso comportamento dentro de casa, na família e na sociedade não os deve envergonhar. Se o pai está vivo e o filho se comporta mal, como é que o pai fica? Se envergonha na sociedade, ou não? (Sim) Qualquer pai quer o filho honrado, comportado, honesto, trabalhador e sério. O facto de ele partir para o Mundo Espiritual, não faz com que ele ignore o comportamento do filho, pelo contrário… No Mundo Espiritual, ele sofre ainda mais por isso, porque no Mundo Espiritual ele vê mais claramente a índole do filho e mais se preocupa. Assim, o Culto aos Antepassados, não é só a oração, não é só o sufrágio, não é só o acto litúrgico, é sobretudo os nossos pensamentos, palavras e ações – Sonen.

Nesse dia 1 de novembro em que faremos aqui essa cerimónia, cada um vai apresentar a eles o seu “saldo”, a sua “obra de bem” e eles vão olhar nos nossos corações e a primeira coisa que vão querer saber é: “Os meus descendentes são virtuosos ou não?”

Porque, se são virtuosos, vão-se elevar e vão-nos puxar para cima, como Antepassados; se são egoístas, se cometem actos que fazem o próximo infeliz, eles vão receber máculas, vão involuir e involuindo, vão-nos puxar para baixo pois estamos todos ligados através dos Elos Espirituais.

Nidai-Sama ensina: “O Antepassado só poderá ser salvo do sofrimento através dum descendente consanguíneo.” Então, se ele só pode ser salvo através de um descendente consanguíneo, ele também involui graças a um descendente consanguíneo, não só evolui, mas também involui e vice-versa; está todo o mundo amarrado uns nos outros.

Os senhores já viram aqueles alpinistas que vão escalando a montanha e estão todos amarrados uns nos outros? (Sim) Quando um sobe um metro, ele ganha um metro para todos; se algum deles escorrega e cai, arrisca-se a puxar todos para baixo, porque estão amarrados; nenhum deles pode pensar: “Eu subo do jeito que eu quiser e se eu cair o problema é meu!” Com a família é a mesma coisa, está todo o mundo ligado através dos elos espirituais; quando se eleva, puxa para cima, quando cai, puxa para baixo.

Além do mais, chegará o dia em que eles que estão agora no Mundo Espiritual, reencarnarão e nós que estamos no Mundo Material, partiremos para o lado de lá; se nós cultuamos e dedicamos bastante pela elevação dos Antepassados, teremos descendentes evoluídos e como Antepassados que um dia seremos, vamos ter descendentes de alto nível, que vão-se dedicar à nossa elevação. Hoje estamos do lado de cá, não estamos talvez nos importando tanto em elevar os Antepassados, porque não estamos vendo a seriedade disso, mas o dia em que nós estaremos do lado de lá, dependentes deles que estarão do lado de cá, pensaremos: “Puxa, porque é que não dediquei mais por eles, para ter um “descendentezinho” melhor do que estou tendo agora?!” (Risos)

Mas aí vai ser tarde, vai ter que se arranjar com o que tem, porque não vai poder fazer mais nada! Agora chegou a hora de falar nisso, porque é o assunto deste mês, mas na verdade isso é uma relação que deveríamos pensar o ano inteiro!

No Boletim Informativo deste mês, vai sair na íntegra as palavras do nosso querido Líder Espiritual Kyoshu-Sama, do Culto de Atami do dia 1 e 2 de agosto passado, que foi o Culto pela Paz Mundial e Culto pela Salvação dos Antepassados. Nesse Culto ele nos orientou, como sempre, de forma maravilhosa, sobre a nossa relação com os Antepassados. Eu pediria para os senhores, que durante o mês, lessem e relessem muitas vezes essas palavras e as pudessem interiorizar, porque nos ensina o modo correto como vivemos essa relação.

Eu gostaria de agora, com a vossa permissão, ler algumas passagens dessa orientação, que eu acredito que são motivo de profunda reflexão:

… “A morte não existe. Não há diferença entre aqueles que estão “vivos” e os que estão “mortos”. Estamos todos vivos e viveremos para sempre. Portanto, nossos ancestrais não estão mortos como normalmente acreditamos. Dentro de nós, eles estão clamando: “Não pensem que estamos mortos! Estamos vivos dentro de você!” …

…“Alcançar essa percepção, acredito, é a forma pela qual poderemos harmonizar, pacificar e trazer salvação a nossos ancestrais. Eu sinto que jamais poderei ser um verdadeiro ser vivo enquanto acreditar que meus ancestrais, em meu interior, estão mortos.”…

…“Apesar de nossas fraquezas, Deus sempre nos considera como residentes de Seu Paraíso pois foi lá que Ele nos concebeu. Apesar de sentirmos como se estivéssemos na Terra, nosso lar continua sendo o mesmo – o Paraíso. Antes de virmos à Terra, nós servíamos a Deus no Paraíso. Isso não muda, mesmo depois de virmos à Terra. Nossa tarefa continua sendo a mesma – servir a Deus que está no Paraíso.”…

…“Onde será que Deus desenvolve Sua Obra Divina? Obviamente, é no Paraíso. É por isso que, se quisermos servi-Lo, precisamos primeiro retornar ao Paraíso.”…

…“O que fazemos na Terra é uma mera projeção do que na realidade fazemos no Paraíso. Hoje, estamos reunidos neste templo realizando um culto religioso de louvor a Deus. Estes cultos são realizados na Terra somente porque os realizamos constantemente no Paraíso, para louvar e glorificar a Deus.”…

…“Em nossas vidas, experimentamos várias emoções. Às vezes, ficamos deprimidos, tristes ou preocupados quando nos deparamos com situações difíceis. Outras vezes, nos sentimos alegres e felizes. Por causa dessas emoções, todo tipo de pensamentos passam por nossa cabeça. Os senhores podem achar que essas emoções e esses pensamentos sejam seus, mas eles são emoções e pensamentos de toda a humanidade e de todos os ancestrais.”…

…“Com toda a humanidade, todos os ancestrais e toda a Natureza, em nome do Messias que é uno a Meishu-Sama, vamos agradecer a Meishu-Sama que está sempre dentro de nós, instruindo nossos corações no caminho de Deus. Vamos louvar a Deus, nosso Pai, do fundo do nosso coração.
Por fim, vamos despertar para um tipo completamente novo de fé, na qual todo louvor é direcionado a Deus.”…

Com estas palavras agradeço a presença de todos e desejo-vos um bom mês de preparação para o Culto Especial pela Salvação dos Antepassados!

Muito obrigado! (Palmas)