Culto Mensal de Agradecimento – Sede Central – Abril 2015

PALESTRA DO PRESIDENTE DA IGREJA MESSIÂNICA MUNDIAL DE PORTUGAL

MIN. CARLOS EDUARDO LUCIOW

Bom dia a todos!
Os senhores encontram-se todos bem?
– Graças a Deus e ao Messias Meishu-Sama!

Quero iniciar as minhas palavras agradecendo a todos os senhores, de coração, pela vossa sincera dedicação, que nos permite expandir a Obra Divina de Salvação de Deus e Meishu-Sama em Portugal. Muito obrigado!

Quero também desejar a todos uma feliz Páscoa!

O facto do Dia de Páscoa coincidir com o nosso Culto Mensal da Sede é muito significativo. Acredito que espiritualmente é um sinal da aproximação do Mundo Espiritual Cristão com o Mundo Espiritual Messiânico; decorrente das sinceras e respeitosas orações que realizamos nas Igrejas, Cemitérios e também das dedicações de Limpeza Espiritual por todo o país.

Hoje estamos a receber muitas visitas. Gostaria de saber quem está aqui hoje pela primeira vez. Podem levantar a mão? Sejam muito bem-vindas a casa de Meishu-Sama!

Quero apresentar duas ministras que nos visitam pela primeira vez: A Min. Margarida Maria da Silva, que veio de Luanda (palmas), que nos trouxe um grande abraço do Min. Cláudio e demais ministros, missionários e membros de Angola. Seja bem-vinda e retornando a Angola, leve o nosso caloroso abraço ao Min. Cláudio e a todos os nossos irmãos angolanos. Também estamos recebendo a nossa querida Min. Maria Teresa Pinto da Costa Silva, pioneira da Igreja no Porto. (palmas) A Min. Teresa recebeu o Ohikari no Rio de Janeiro, veio com a força total e difundiu o Johrei no Porto, iniciando na sua casa. Hoje temos centenas de membros naquela cidade, graças ao início da difusão pioneira realizada por ela. A senhora é um grande exemplo para todos nós. Muito obrigado!

Estamos a receber também muitos membros que vieram de longe: Porto, Gaia, Vila Real, Bustos e Coimbra; que viajaram muitas horas para dedicarem e participarem do Culto Mensal da Sede. Muito obrigado pela vossa presença e sejam todos muito bem-vindos! Assim como também os membros da região de Lisboa e arredores; é sempre um prazer recebê-los. Muito obrigado!

– Comunicações

Gostaria de comunicar que, por orientação do nosso Presidente Mundial, Rev. Masayoshi Kobayashi, houve uma alteração no quadro do pessoal do Solo Sagrado e o nosso atual Diretor do Departamento Internacional, Reverendo Marco Resende Miyamichi, foi transferido para a Sede Central da Igreja Messiânica Mundial do Brasil, assumindo o seu lugar, o Min. Keizo Miura. O Rev. Resende pediu-me para, em primeiro lugar, agradecer a todos os senhores pelo tempo que pôde dedicar convosco e que agora, no Brasil, continuará a orar pela felicidade dos senhores, assim como fazia quando estava em Atami. Em Agosto, quando peregrinarmos ao Solo Sagrado do Brasil, estará a nossa espera para, pessoalmente, cumprimentar e agradecer a todos.

A propósito da caravana, ainda temos alguns lugares disponíveis. Até o dia 20 de Abril, pode-se garantir a passagem através de um sinal de 30% (320€). O restante (739€) deverá ser pago até o dia 30 de Junho. Peço a todos que desejem peregrinar ao Solo Sagrado, que façam um Sonen forte e tenham a determinação de querer receber Luz e força para confirmar e receber uma nova missão de Deus e Meishu-Sama.

– Viagens Missionárias e os Núcleos de Johrei:

Desde o dia 19 de Março que estou a visitar várias localidades aonde conheci e dediquei junto com muitos membros. Comecei pela Espanha no Johrei Center de Barcelona e posteriormente no Johrei Center de Madrid visitando os lares dos membros. Estive também, pela primeira vez, no Núcleo de Johrei em Córdoba onde realizamos uma reunião. Ao chegar de Espanha, passei rapidamente por Lisboa e fui direto para o Algarve onde pude, pela primeira vez, visitar e fazer reuniões nos Núcleos de Portimão e Loulé. Visitei também, na Fuzeta, a casa de membros que receberam o Ohikari em Lisboa e que ao se mudarem para o Algarve tornaram-se os pioneiros da Fé Messiânica naquela região. Foi uma alegria e emoção muito grande reencontrá-los porque eram membros da minha época, quando estive aqui em Lisboa, há 25 anos atrás!

Depois fui para o Ribatejo, onde fizemos uma reunião no Núcleo de Santarém e por último, visitei a casa dos membros em Setúbal, Almada e uma reunião no Núcleo da Amora.

Recebi muita força e muita Luz em cada Núcleo e em cada casa de membro que visitei e dediquei. Através do amor e da sinceridade das pessoas em abrirem as suas casas, ou seja, abrirem os seus corações para receberem os seus vizinhos, parentes, amigos; transformam a própria casa na “Casa de Meishu-Sama” capaz de salvar outras pessoas. Em todos esses lugares pude constatar que, pelo facto dos membros abrirem a própria casa com o objetivo de salvarem outras pessoas, são eles mesmos que acabam por se salvar. Por estarem a dedicar intensamente para fazer as outras pessoas felizes, são eles próprios que se tornam felizes!

O que é um Núcleo de Johrei? É um local onde existe um Altar do Lar ou uma Imagem Consagrada de Meishu-Sama, onde se pode fazer oração e em que a pessoa, uma vez por semana, por algumas horas, abre regularmente a sua casa para receber pessoas e transmitir Johrei.

No mês de março, outorgamos em todo o país, 6 Imagens Consagradas de Meishu-Sama e atualmente existem 14 núcleos a funcionar, pelo menos uma vez por semana, frequentados por centenas de pessoas.

– Experiência de Fé:

Hoje ouvimos a maravilhosa experiência da senhora Maria José de Oliveira Vidal, que é membro há 18 anos e ultimamente andava desanimada, desmotivada, sozinha e perdida. Mesmo quando vinha à Igreja, não tinha muita alegria. A sua vida estava muito infeliz, agravada pelo facto do marido ter ficado desempregado em Portugal e necessitar ter imigrado para Angola e ainda não estar estabilizado no trabalho. Como sabemos, a purificação financeira é um dos grandes motivos para o conflito no lar.

Através de uma entrevista que teve com o Min. Octávio, este propôs-lhe que abrisse a sua casa para receber os membros e frequentadores da localidade, visto ser distante da Igreja em Lisboa. Assim começaram as atividades no Núcleo de Johrei de Massamá. Ministravam Johrei e estudavam os Ensinamentos mas como ainda não tinha a Imagem Consagrada de Meishu-Sama não podiam orar e ela sentia que sem a oração a reunião não estava completa. Assim ela criou o objetivo de ter a Imagem Consagrada de Meishu-Sama, mas devido à sua situação económica, a primeira coisa que ela pensou foi: “Não tenho dinheiro”. É o que todos pensam.

As coisas espirituais não dependem de ter dinheiro mas sim da permissão de Deus. Se fosse para comprar um outro quadro qualquer, dependeria de se ter dinheiro ou não mas, para receber a Imagem Consagrada de Meishu-Sama depende de ter a Sua permissão. Se tiver essa permissão, o dinheiro chega até nós. Quando ela ligou para o Banco com a intenção de apenas saber o saldo bancário, o milagre aconteceu: A gerente, que nem a conhece bem, pois é cliente há apenas 1 mês, ofereceu, sem que ela pedisse, um empréstimo de 250€. Pois o que ela tinha na conta, mal daria para passar o mês. Todos sabemos que os Bancos não oferecem empréstimo a quem não tem dinheiro; só emprestam dinheiro a quem tem dinheiro ou tem algum bem para hipotecar, não é assim? É um grande milagre!

Por acaso estamos aqui a falar de dinheiro mas o que conta é o milagre que nasceu com a mudança do seu Sonen, ou seja, a decisão que ela teve de entronizar a Imagem Consagrada dentro de um mês. Muitas pessoas pensam assim: “Quando eu tiver a condição material vou determinar”, mas não é assim! Espiritualmente devemos pensar de maneira contrária: “Eu vou determinar espiritualmente, assim a condição material aparece!”. As pessoas estão tão acostumadas a pensar e agir observando apenas o lado visível, material das coisas, que se esquecem que o principal é o lado invisível, espiritual de tudo. Quando ela colocou no seu coração o desejo de ter a Imagem para os membros rezarem e determinou uma data, sem dinheiro para isso, a gerente do Banco disse: “Eu vou depositar e no final do mês você paga”. Milagre! Porque Deus permitiu. Quando Deus permite até a gerente do Banco muda! (risos)

Deus criou o Céu e a Terra, criou o Universo, as estrelas, o mar, etc. Deus criou tudo. Pensar que é impossível fazer algo material é subestimar a Onipotência de Deus. O nosso materialismo é que atrofia, limita e bloqueia a atuação de Deus e do Mundo Espiritual. Quando o nosso Sonen está pequeno pensando: “Isso não dá”, “fulano não presta”, “não tenho dinheiro”, Deus então diz: “Está bem, se achas que não posso então não farei nada para mudar as coisas”. Deus respeita o nosso limite porque Ele deu-nos o livre arbítrio para crescermos quando quisermos. Deus quer que a gente cresça, se desenvolva e chegue até Ele reconhecendo-O na sua Onipotência, Onipresença e Onisciência. Só então tudo começa a mudar na nossa vida.

Assim, a nossa querida Zezé entronizou a Imagem Consagrada de Meishu-Sama, com o objetivo de oferecer às pessoas um lugar onde pudessem se reunir para receber Johrei e rezar; melhorou o seu estado de espírito, ficou feliz e começou a contar para o marido as coisas boas que estavam a acontecer. Com isso, o marido também ficou feliz. Não foi o marido que mudou, ela é que mudou!

– A importância da atmosfera espiritual do lar de cada messiânico:

Meishu-Sama nos orienta no Ensinamento lido hoje que cada lar, cada pessoa, tem uma atmosfera. Existem lares onde nós entramos e não nos sentimos bem e existem lares onde entramos e sentimo-nos muito bem. Não é questão de ser casa rica ou casa pobre. Existem casas ricas, sofisticadas, muito bem mobiladas, com muitas coisas caras, mas que não nos sentimos bem lá dentro. Existem outras muito humildes, simples, mas quando entramos, sentimo-nos muito bem e não temos vontade de ir embora.

O que é que muda? É a atmosfera espiritual; o pensamento e o sentimento de quem vive numa casa e de quem vive na outra. Uma é egocêntrica e a outra tem amor e é altruísta. Na experiência, ela relata que não gostava de ficar em casa e tinha até vontade de ir embora. Hoje em dia o que é que ela diz? “Não tenho vontade de sair de casa”. Mudou porque agora a sua casa é repleta da Luz proveniente da gratidão das pessoas que ali vão, recebem Johrei e agradecem. Essa gratidão é que transformou a sua vida. E ela diz também uma coisa muito importante na experiência: “Sinto como se Deus tivesse recolocado a corda da salvação de novo em frente a mim e voltei a ter a mesma alegria da época em que fui outorgada”.

Porque é que voltou a ter a alegria de quando foi outorgada? Porque nós somos outorgados por Meishu-Sama para fazer os outros felizes e quando cumprimos essa missão, somos abençoados com alegria e felicidade eternas. Mas quando permitimos que a força negativa desenvolva o egoísmo dentro de nós, aos poucos começamos a pensar somente na nossa felicidade e em querer resolver apenas os nossos problemas. Quando entra esse egoísmo desaparece a corda da salvação e nesse momento a tristeza e a angústia regressam. Este é o ponto-chave da experiência e este é o ponto principal da Fé Messiânica: a nossa felicidade depende de fazermos o nosso próximo feliz. Onde se reúnem pessoas felizes está concretizado o Paraíso Terrestre e onde as pessoas se reúnem e são infelizes é o “inferno Terrestre”, que era o que ela sentia antes dentro de casa. E não só ficava infeliz dentro de casa como também fazia o marido infeliz. Exportava o inferno até para Angola! (risos) Quando uma pessoa não está feliz, tudo o que ela faz não fica bem e no trabalho era a mesma coisa. Quando ela diz que agora a patroa mudou porque passou a elogiar o seu trabalho ao invés de reclamar e chamar-lhe sempre a atenção, na verdade quem mudou foi ela. Queremos que a patroa mude, que o marido mude, que a casa mude e nós não mudamos. Continuamos egoístas. Quando mudamos para altruístas, a patroa muda, o marido muda, tudo muda. “Ah, os outros mudaram!”, “Não. Você mudou!” Porque inverteu a polaridade negativa (egoísta) para positiva (altruísta).

Essa é a essência da Fé Messiânica e é para isso que nós nos esforçamos diariamente em construir esse lar paradisíaco na casa de cada membro. É importantíssimo que a casa de cada membro se transforme num farol de Luz Divina para a sociedade. Sabem qual é o farol a que me refiro? É aquela torre instalada na costa marítima e que serve de guia à navegação. Antigamente, se não existissem os faróis, os navios na escuridão não conseguiriam navegar em segurança. Como Meishu-Sama nos orienta neste Ensinamento: “Onde existe muito amor, a Luz é intensa”. Quando as pessoas começam a praticar o Johrei intensamente dentro dos seus lares, espiritualmente irradiam uma Luz ofuscante para o Mundo Espiritual daquele lugar. Essa Luz é avistada a quilómetros de distância e os espíritos dos antepassados de quem vive naquelas redondezas, curiosos com a origem de tanta Luz, vão ao seu encontro. Quando lá chegam encontram todos praticando Johrei e ficam maravilhados com tanta Luz. Nesse momento, os nossos antepassados, que já conhecem a Luz Salvadora do Messias Meishu-Sama, se dedicam a esclarecer esses espíritos e os orientam a participarem dessa Obra Divina de Salvação encaminhando os seus descendentes para a Igreja Messiânica Mundial. É assim que no Mundo Espiritual os antepassados combinam o encaminhamento. Então, quando “por acaso”, no mercado, na fila do correio ou em outro lugar qualquer, encontramos uma pessoa a quem falamos do Johrei e a pessoa se interessa, achamos que fomos nós que a encaminhámos. Na verdade foram os antepassados dela que ao verem a Luz do Johrei e com desejo de salvá-la, a encaminham para nós. Assim, a pessoa vem, começa a receber Johrei, fica feliz, recebe o Ohikari e passa também a se dedicar a felicidade dos outros. Por isso é que os lares têm que ser um farol de Luz para a sociedade.

Não devemos pensar: “Esta casa é minha”; o correto é pensar: “Essa casa é de Meishu-Sama e está à Sua disposição para salvar o maior número de pessoas!”. Não adianta termos um castelo se não formos felizes nele. Acredito que qualquer pessoa prefira morar numa casa pequena mas ser feliz do que morar num castelo e ser infeliz. Mas morar “aqui” feliz ou “lá” infeliz, depende se eu sou, “aqui”, altruísta, ou se eu sou, “lá”, egoísta. Temos inúmeros exemplos de famílias nobres, que viviam em castelos estupendos, pessoas riquíssimas mas com a descendência toda infeliz, com mortes violentas, etc. Isto porque não é a matéria que faz o homem feliz, mas sim o espírito. Quando conseguirmos seguir o exemplo da Zezé e, conforme Meishu-Sama nos orienta neste Ensinamento, mudar a nossa atmosfera espiritual e a do nosso lar, a nossa família será feliz e nós seremos felizes em cumprir a nossa missão de fazermos o nosso próximo feliz.

Muito obrigado pelo seu grande exemplo e vamos esforçar-nos para segui-lo.

Desejo a todos um bom mês e um bom final de domingo de Páscoa juntamente com os vossos familiares.

Muito obrigado!